Disputa acirrada nas categorias de base marca o Campeonato Brasileiro

A diferença em pontos porcentuais que separou campeões, vices e terceiro lugares em categorias amadoras foi bastante pequena, o que mostra que a disputa foi acirrada no Campeonato Brasileiro de Adestramento. Na iniciante, por exemplo, a vice-campeã Gabriela Ometto Ribeiro com Zeca Interagro ficou apenas 0,26 ponto porcentual de Beatriz Arantes com Earl de Vanou. Na preliminar, a diferença foi ainda menor: apenas 0,126 p.p. Carolina de Arruda Botelho, com Chronus Santa Dalila, de Paulo Cesar Ferreira Junior, que montou Diesel da Prata. “É muito positivo ver pouca diferença e notas altas”, ressaltou Claudia Mesquita, juíza FEI 4* que presidiu o júri de campo no CBA.

Campeonato-Brasileiro-2018-patrocinio

Além da pequena diferença das notas, as séries iniciante, com nove conjuntos; elementar e preliminar amador, com sete concorrentes cada, foram as mais disputadas do CBA — a média 2 profissional, com sete concorrentes, foi a mais concorrida na Taça Brasil.

Para Sandra Smith, diretora de adestramento da CBH e juíza FEI 4*, a grande participação dos amadores e também de cavalos novos é reflexo do incentivo de isenção do selo. “É bacana que teve bastante gente nestas categorias, e que vieram minimirim e mirim, porque isto quer dizer que este incentivo está valendo a pena, que é importante e tem de continuar”, afirmou, completando que as notas acima dos 65% na base mostra que a qualidade está boa, tanto dos cavalos quanto da técnica dos cavaleiros.

>>> Confira todos os resultados do CBA e Taça Brasil

Para o julgamento das provas houve um revezamento dos juízes para que todos os níveis pudessem ser avaliados por um maior número de profissionais. Nas provas fortes (amador top, sênior e sênior top), as provas foram julgadas por cinco juízes, o que é considerado ideal para estas séries.

O Campeonato Brasileiro de Adestramento e a Taça Brasil tiveram 75 conjuntos na disputa, representando seis Estados. As competições começaram dia 9 de novembro, com a inspeção veterinária. “Foi um campeonato muito bom, com mais de 70 concorrentes e no qual a organização, principalmente a parte de paddock, funcionou muito bem, porque trabalhar simultaneamente duas pistas, com tempo apertado, não é fácil”, ressaltou Mesquita.

Na prova de domingo, quatro conjuntos foram eliminados, alguns por presença de sangue.

Estilo livre — Amadores top, sêniores e sêniores top executaram no domingo (11/11) e último dia do campeonato reprises freestyle. A mudança refletiu a redução de três para dois dias de provas e também serve como preparação dos conjuntos para o novo ciclo internacional, que começa no fim de novembro com o CDI 1* da Argentina, quando o Brasil precisa conquistar uma vaga por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Lima em 2019.

Alexandre Morais de Oliveira, diretor de adestramento da Sociedade Hípica Paulista e responsável pela organização do evento, destacou, em entrevista em vídeo, que reunir federações de diversos Estados é importante para o seguimento da modalidade. “Foi um sucesso, porque reuniu seis Estados que há muitos anos não se reúnem”, disse. Na entrevista ele também faz um balanço do Ranking SHP.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.