Campeonato Brasileiro tem competição por equipes mistas

Assim como em 2018, neste ano, o Campeonato Brasileiro também terá disputa por equipe entre os Estados. De acordo com a regra divulgada pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH), para disputa em equipe, cada federação deverá nomear quatro conjuntos antes da inspeção veterinária, que será realizada na manhã do dia 21 de novembro. As equipes serão mistas, ou seja, podem ser compostas por cavaleiros de diferentes categorias.


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.


 

De acordo com o regulamento de adestramento 2019 da CBH, para a classificação por equipes é obrigatória a participação de, no mínimo, equipes de três diferentes Estados. Sagra-se vencedora a equipe que totalizar a maior somatória de porcentuais obtidos pelos três melhores classificados da mesma equipe — portanto, com um descarte para times com quatro conjuntos.

Em 2018, a equipe de São Paulo venceu com 45 pontos; seguido do time do Rio de Janeiro, com 27 pontos; Rio Grande do Sul, com 20; Minas Gerais, com 18, e Paraná, com 17. Brasília não levou quantidade suficiente de conjuntos para formar um time e entrar na disputa. Confira os resultados por equipe em 2018.

No ano passado, as equipes tiveram conjuntos tanto amadores quanto profissionais, ou seja, competindo pela Taça Brasil, e a contagem de pontos não foi por porcentual, mas usando a tabela do ranking CBH de pontuação, que atribui pontos conforme a colocação e o número de competidores na prova. O CBA e a Taça Brasil tiveram 75 conjuntos na disputa, representando seis Estados.

O CBA e a Taça Brasil tiveram 75 conjuntos na disputa em 2018, representando seis Estados. A jornada das equipes de outros Estados não é fácil. Participar do campeonato exigiu muito planejamento, logística e esforço dos participantes. Mas foi um sacrifício que valeu a pena, segundo contaram competidores representando as federações gaúcha e de Minas Gerais contaram em entrevistas em vídeo ao Adestramento Brasil. Releia a matéria.

CBA e Taça Brasil 2019
O Campeonato Brasileiro e a Taça Brasil de Adestramento ocorrem de 21 a 24 de novembro no Clube Hípico de Santo Amaro. Conforme consta no programa, a título de ajuda custo, a CBH arcará com a taxa de estabulagem dos animais provenientes das entidades de fora da capital de São Paulo.

Para o júri de campo, foram escalados os seguintes juízes: Sandra Smith de Oliveira Martins, como presidente, e, como membros, Claudia Moreira de Mesquita, Natacha Waddell, Rosalind Flosi de Vasconcellos Macedo, Márcio Navarro de Camargo e André Ganc. Todos são juízes nacionais do Estado de São Paulo. Sonia Hanssen será a juíza de arreamento.

As inscrições definitivas, reservas de estabulagens e quartos de sela encerram-se no dia 15 de novembro de 2019 às 17 horas. O valor da estabulagem é de R$ 380 e o de quarto de sela, R$ 350. O valor das inscrições para todo o campeonato varia de R$ 150 (pônei) a R$ 450.

Todos os cavaleiros devem ter seu registro CBH (anual) em dia. O registro para 2019 é feito pelo site da CBH e custa R$ 80. Neste ano, como já noticiado, a CBH manteve a dispensa do selo para algumas séries e categorias. Assim, os conjuntos que participarem das séries pôneis, iniciantes, elementar (amadores, profissionais e minimirim), preliminar (mirim, amador ou profissional) e cavalos novos (4, 5, 6 e 7 anos) deverão apresentar apenas o passaporte, ficando dispensados do selo.

Confira a cobertura especial do Campeonato Brasileiro e da Taça Brasil 2018

Provas
A inspeção veterinária é obrigatória e será realizada no dia 21 de novembro. Todas as pessoas que apresentarem os cavalos deverão usar capacete.

Exceto pônei, que faz apenas uma prova, e as categorias júnior, jovens cavaleiros e seniores (forte 2), que têm três dias de provas, os demais terão dois dias de competições. Da iniciante a forte 1, em amador e profissional, as reprises são as de número dois e três. Para outras categorias, verificar no programa quais devem ser as provas a serem executadas.

Júnior, jovens cavaleiros, amador top e seniores na forte 2, médium tour e especial deverão apresentar a reprise estilo livre.

Para sagrar-se campeão das séries pônei, iniciante, minimirim, mirim, júnior, young rider, amador top e amador de todas as séries o porcentual mínimo é de 61% e, para sagrar-se vice-campeão, de 60%. Para sênior, sênior top, intermediária (médium tour) e cavalos novos 4, 5, 6 e 7 anos, o porcentual mínimo para sagrar-se campeão é de 65% e de 64% para vice-campeão.

5 respostas para ‘Campeonato Brasileiro tem competição por equipes mistas’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.