Anna Ross: conhecer a fundo o cavalo é chave para ser um ótimo cavaleiro

“Precisamos conhecer o cavalo, sua personalidade. É muito importante entender como o cavalo se sente em relação às coisas e usar a psicologia; somos mais inteligentes e somos capazes de ajudar o cavalo a querer fazer o trabalho e não forçá-lo a fazer”, enfatizou a amazona britânica Anna Ross, em entrevista ao Adestramento Brasil, durante sua passagem pelo País.

Para Ross, a chave do sucesso para ser um ótimo cavaleiro é estabelecer uma conexão com o cavalo para saber o que se passa com ele — e para ter este feeling nada melhor que desfrutar tempo com ele. “Os melhores cavaleiros da Inglaterra passam um bom tempo com seus cavalos. Charlotte Dujardin, por exemplo, ficava muitas vezes na baia com Valegro; limpava a baia, o limpava, o levava para caminhar. Ela tinha uma ligação muito forte com o cavalo; ela o conhecia muito bem”, contou a amazona e treinadora que pratica adestramento há 20 anos.

Ross já teve quatro cavalos no time britânico, do qual foi membro e disputou as principais competições europeias. Ela explicou que passar tempo com os cavalos, cuidando deles, é a melhor maneira de compreendê-los e entender os que os motiva, o caráter deles, do que eles gostam e do que não gostam.

Recentemente, Ross treinou o time brasileiro de concurso completo de equitação (CCE), no período de 2013 a 2016, como preparação para Jogos Olímpicos Rio 2016. Atualmente, ela trabalha de forma privada com alguns dos cavaleiros, ministrando aulas e clínicas frequentemente em São Paulo. “Eu foco no adestramento, que é meu trabalho, mas meu hobby é o CCE”, revelou.

Durante o treino, a dica de Ross é para ficar atento aos sinais do cavalo e saber o momento certo de encerrar o trabalho. “Quando o cavalo faz a lição bem, é tempo de parar e não é momento de dar uma nova lição a ele. Quando você faz uma pergunta para o cavalo e ele responde bem, deixe-o em paz e não peça nada mais, porque, quando o cavalo está cansado, ele para de progredir.”

Para quem está começando, a orientação é focar no treinamento básico para entender os princípios do adestramento. “No fim, piaffe, passage e mudança de pé são até fáceis de fazer. Se o básico estiver correto, o resto do adestramento vem de forma fácil”, enfatizou, reforçando que se deve fazer corretos trote e galope, com ritmo, descontração, contato, retidão, impulsão e reunião. “A coisa mais importante para o iniciante é contar com um instrutor competente e focar na base; e não tentar fazer movimentos mais avançados antes de terem um bom entendimento dos princípios básicos”, concluiu.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.