Rancho Cariama foca em ibéricos e revive PRE no Brasil

Novembro de 2022 ficará na memória de Renata Martim e Paulo Portilho como um importante marco para o Rancho Cariama. Depois de importar animais da Espanha, naquele mês, nasceu em solo brasileiro Allegro Cariama, potro da pura raça espanhola (PRE) e que chegara ao País na barriga de Romera MFE. Em princípio, o local em Limeira, interior de São Paulo, era para suprir a vontade do casal de montar e conviver com cavalos. Mas, logo, se transformou em um haras com 102 animais, um negócio grande, com alto investimento e planos concretos.

Você gosta do Adestramento Brasil?

Para este site jornalístico — que traz as principais notícias da modalidade — seguir existindo, ele precisa de financiamento. Afinal, dá um trabalhão manter todos atualizados!

Contribua para a continuidade do site: seja um anunciante ou contribua no valor que quiser via PayPal (cartão de crédito) ou Pix (contato@adestramentobrasil.com).

“Sei que vai demorar muitos anos, mas o objetivo é ter entre cinco e dez cavalos fazendo provas de grande prêmio e com boas apresentações. Para isso, precisamos de boa genética, bom manejo, boa nutrição e bons equitadores”, disse Portilho, em entrevista à Adestramento Brasil. O haras tem dois equitadores residentes — Fabio Lombardo e seu filho, Fabio Lombardo Júnior — e planeja trazer treinadores de fora do País três a quatro vezes por ano. Em dezembro, o Rancho Cariama trouxe o espanhol Samuel López Candel para dar uma clínica e recebeu convidados.

Com o nome refletindo o sentimento do rancho, Allegro marca o primeiro potro 100% PRE nascido no Brasil há, de acordo com Portilho, pelo menos uns 15 ou 20 anos. Ele é filho de Califa MFE em Romera MFE, ambos de criação da Yeguada Maria Fernanda de la Escalera. “O potro nasceu negro, com 68 quilos, tem tudo para ser nosso futuro garanhão”, destacou Portilho.

O projeto para se sustentar demanda não apenas investimentos como dedicação e foco. O planejamento do Rancho Cariama é de longo prazo. Para chegar a ter entre cinco a dez cavalos fazendo provas de GP, Paulo Portilho ressaltou que é necessário ter mentalidade aberta para escolher os cruzamentos e reconheceu que os resultados serão frutos de muito trabalho e paciência. Foram 16 animais PREs importados para o Brasil, sendo 12 fêmeas, entre 19 e 1 ano de idade, e quatro machos jovens, com menos de três anos e cumprindo requisitos para servirem como garanhões do haras.

Os selecionados seguem a linhagem escalera e foram adquiridos de dois criadores: Maria Fernanda de la Escalera e Francisco Santiago (leia mais abaixo). “São animais de boa estrutura e boa movimentação, especialmente as fêmeas. A linha escalera tem uma vantagem, que é insubstituível, que é a elevadíssima padronização. A arquitetura corporal é muito similar, tendo bom tamanho, boa estrutura, uma arquitetura mais alta que longa, espáduas inclinadas, cernelhas bem demonstradas. Com esta base, estamos buscando sempre garanhões de mais esportividade como o Poeta de Susaeta e cavalos lusitanos”, detalhou o entusiasta.

Longa jornada
Paulo e Renata se conheceram na faculdade. Ambos eram apaixonados por cavalos e montaram um tempo juntos quando cursavam graduação na Esalq/USP. Casaram-se, os filhos vieram e, quando encontraram o ninho vazio, decidiram comprar um local onde fosse possível criar um centro equestre e voltar a montar, escolhendo dressage. “Do adestramento para cavalo ibérico é um passo. Sempre admiramos, a certa distância, a vontade do ibérico, seja lusitano ou PRE, em aprender, gostar do equitador e da equitação e progredir com mais facilidade. E, do ponto de vista de cabeça e de aprendizado, o ibérico não tem comparação”, destacou Portilho.

O Rancho Cariama começou com a compra de cavalos lusitanos castrados para montaria. Logo, o casal decidiu investir em algumas éguas e veio o sonho de criar PRE. “Eu sempre estive muito intrigado por que separaram as raças, porque para mim não faz sentido, depois de 50 mil anos, separá-las”, apontou. “Vamos escrever pequeno capítulo novo, tratando as raças como sendo a mesma e tendo lusitano, PRE e cruzamento entre eles. O tempo vai dizer se a estratégia está certa. Gosto mais de uma boa dúvida que uma certeza incorreta”, completou.

O namoro com a pura raça espanhola remonta a alguns anos. Em 2014, Paulo Portilho contou que o casal viu bons cavalos no Sicab (sigla para Salón Internacional del Caballo de Pura Raza Española), uma tradicional feira do cavalo em Sevilla, na Espanha. “Voltamos em 2018 e vimos excelentes cavalos. Voltamos em 2021 e ficamos extremamente satisfeitos com o cavalo espanhol, com a estrutura e equitação. Nos apaixonamos”, relatou.

Em abril de 2022, a ida à Espanha ocorreu com visitas já marcadas a criadores com linhagens voltadas para o adestramento. “Optamos trazer de dois criadores: da Maria Fernanda de la Escalera, que cria cavalos de porte maior, conformação harmônica e bom andamento, e de Francisco Santiago, que cria outro ramo da mesma linhagem e é criador do Malagueño, que hoje é um dos melhores cavalos espanhóis do mundo”, contou. A ideia é manter essa linhagem, cruzá-la com cavalos lusitanos de mais esportividade. A meta é ter potros puros PREs e lusitanos, além de cruzados.

Foto: reprodução Instagram

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.