Por que impulsão e submissão têm peso 2 já na série elementar?

Palavra_de_juizComo são atribuídos os pesos para o grau de conjunto nas reprises e por que impulsão e submissão têm peso 2 já na série elementar foi o tema da pergunta enviada por um cavaleiro amador, que compete na série elementar, e respondida pela juíza internacional 4* Claudia Mesquita.

Por que as reprises mais iniciantes, como as de elementar, atribuem peso 2 para os quesitos impulsão e submissão, se, na escala de treinamento, as fases de submissão (traduzido no contato) e impulsão vem somente após a confirmação do ritmo e da descontração? Por que não atribuir peso para a regularidade e qualidade das andaduras?

Claudia Mesquita: Praticamente todas as reprises nacionais, da CBH, são as mesmas utilizadas nos Estados Unidos, pois compramos os direitos de uso. De um modo geral, elas são usadas na América Latina e em muitos países da Europa. Os pesos estão relacionados aos objetivos a serem buscados nos testes.

No caso da reprise elementar nº 1, pode-se observar, na parte superior do teste, qual é o objetivo dele, que nesta reprise diz “mostrar que o cavalo apresenta trabalho de ase correto, mostrando-se descontraído, movendo-se livremente para a frente, mantendo o ritmo com cadência e aceitando a embocadura. Todo o trabalho de trote pode ser feito elevado ou sentado a não ser que esteja estipulado na reprise e altos podem ser através do passo”. 

Na lateral direita da reprise, você encontra a introdução, ou seja, o que está sendo introduzido no teste. Na elementar nº 1, são trote de trabalho, galope de trabalho, passo médio e passo livre, círculos de 20 metros ao trote e ao galope. Repare que os pesos também aparecem em algumas figuras do teste. Basicamente, estes são os objetivos do teste e, sendo os objetivos dele são o que buscamos analisar e por isto eles têm um peso maior. Por isto que também a submissão e a impulsão são fundamentais e têm peso dois, porque isto tem de ser cumprido neste teste. O cavalo tem de ter uma submissão e contato bom, tem de estar relaxado e tem de ter vontade e se mover para frente e com o ritmo correto. 

Já nas reprises iniciantes I/II/III—atualizada 2010, que constam na pagina oficial da Confederação Brasileira de Hipismo, na sua parte final, especificamente graus de conjunto, falam dos seguintes itens e seus pesos:

Andaduras: franqueza e regularidade — peso 1
Submissão: confiança e harmonia — peso 1
Posição e Assento: assento do cavaleiro e efeito das ajudas — peso 2
Execução das figuras — peso 2
Apresentação do conjunto (cavaleiro / cavalo) — peso 1

Conforme o art. 432 do regulamento da CBH — Adestramento/2017, os graus de conjunto, bem como certos movimentos difíceis, podem ser dotados de coeficiente. Nas reprises nacionais oficiais, este coeficiente será fixado pela diretoria de adestramento da CBH. Nas reprises oficiais da FEI, este coeficiente é fixado pelo bureau da FEI.

As séries elementar aberta e iniciantes destinam-se a incentivar a prática do adestramento, propiciando aos cavaleiros novos e/ou cavalos novos a oportunidade de iniciarem–se na modalidade sendo um dos primeiros contatos com os testes de adestramento. Obviamente, todos os quesitos são extremamente importantes, mas, neste caso, se dá uma especial atenção à posição e ao assento do cavaleiro, à utilização correta das ajudas e à execução correta das figuras.

O art. 418, que trata da posição e das ajudas do cavaleiro, diz que todos os movimentos devem ser obtidos com ajudas imperceptíveis e sem um esforço aparente do cavaleiro. Ele deve estar bem equilibrado, elástico, sentado fundo no centro da sela e ligado suavemente ao ritmo do cavalo com sua cintura e quadris flexíveis, coxas e pernas fixas e bem descidas. Os calcanhares devem ser o ponto mais baixo.

A parte superior do corpo deve estar flexível e ereta, na vertical. O contato deve ser independente do assento do cavaleiro. As mãos devem ser fixas, baixas e próximas uma da outra, com o polegar como o ponto mais alto e uma linha reta, passando pelo cotovelo flexível através da mão em direção à boca do cavalo. Os cotovelos devem estar próximos do corpo. Todo esse critério permite ao cavaleiro seguir os movimentos do cavalo suave e desembaraçadamente.

A eficiência das ajudas do cavaleiro determina o cumprimento preciso dos movimentos exigidos nas reprises. Deverá haver sempre a impressão de uma harmoniosa cooperação entre cavalo e cavaleiro.

Vale a pena conferir também os artigos 410, 411, 412 e 413 que tratam de algumas figuras encontradas nas reprises e da sua forma correta de execução.

Na seção Palavra de juiz, perguntas enviadas por leitores sobre julgamento e regulamento de provas são direcionadas a juízes de adestramento para que sejam respondidas. Tem alguma dúvida? Envie sua pergunta para a seção Palavra de juiz!

Crédito foto: Jane Monteiro/Facebook

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s