CAC mantém ritmo de trabalho com objetivo de conquistar Troféu Eficiência

Com 12 anos de existência, a Coudelaria Amor e Cura não se viu tão afetada pelo período de quarentena e mantém o trabalho dos dez cavalos de esporte que possui atualmente, segundo contou o proprietário e criador de puro sangue lusitanos, Rodrigo Betarelli, para a série de entrevistas que Adestramento Brasil está conduzindo para entender como as restrições impostas pela pandemia e a suspensão das competições afetam haras, amazonas e cavaleiros.


Apoie_AB_PayPalSe você acompanha a nossa cobertura, sabe que informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Clique e seja um apoiador. Você que escolhe o valor!

Prefere anunciar? Confira o mídia kit e fique por dentro das opções para divulgar a sua marca: escreva para contato@adestramentobrasil.com


Adestramento Brasil — Desde quando existe a Coudelaria Amor e Cura?
Rodrigo Betarelli — A CAC tem 12 anos de existência. Está localizada na rodovia Mogi-Bertioga, na cidade de Mogi das Cruzes. Hoje, temos o foco na criação de cavalos voltado para o esporte e para o mercado internacional. Temos 30 animais, sendo dez cavalos montados e em treinamento, dez éguas e dez potros.

Como está sendo o trabalho na quarentena?
Mantivemos o ritmo de trabalho normalmente. Os cavalos são trabalhados quatro dias por semana, divididos entre trabalho de guia e montado. Nos demais dias, eles passam algum período no piquete para relaxar. E também todos fazem trabalho exterior, um passeio.

Quais são os prós e contras de ficarmos sem provas? Como que isto afeta o desempenho dos conjuntos?
Acredito que foi muito ruim estarmos sem prova; é muito importante um ritmo progressivo.

Com relação aos campeonatos, qual é o foco do haras para 2020, pensando que podemos ter as provas reiniciadas no segundo semestre?
A meta é conquistar novamente o Troféu Eficiência [da Federação Paulista de Hipismo], em uma categoria acima. [Em 2019, Rafael Gruman Santos (foto) venceu a preliminar profissional montando Habil E C. Em 2020, a primeira prova do TE, que seria junto com a Copa ABPSL, no Guarujá, foi cancelada devido à Covid].

Quais medidas de segurança estão sendo tomadas para preservar a saúde das pessoas no haras?
Estamos fechados para visitas externas e aumentamos a proteção individual.

Foto: arquivo pessoal / Tupa

SÉRIE ESPECIAL DE ENTREVISTAS — Quando o surto da Covid-19 chegou ao Brasil, as competições pararam e, para tentar frear o avanço da doença, a quarentena foi decretada. Contudo, quem lida com cavalos atletas sabe que o trabalho precisa seguir. Para entender como o período de pandemia está afetando profissionais e haras, Adestramento Brasil preparou uma série de entrevistas com diferentes coudelarias, amazonas e cavaleiros. Todas as entrevistas publicadas nos próximos dias estão reunidas nesta página

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.