Juízes da Copa CHSA dão dicas de como melhorar o desempenho nas provas

Copa-CHSA-patrocinadores-seloEstudar a reprise para saber o que está sendo pedido e quais exercícios têm peso dois. Manter contato constante e conexão com o cavalo vindo do posterior. Desenhar bem, executando as figuras nos tamanhos e nos lugares solicitados e fazendo os cantos. Entender que não é soltar as rédeas no círculo permitindo que o cavalo alongue o pescoço. Essas foram algumas das dicas dadas pelos juízes que julgaram a quarta etapa da Copa Santo Amaro de Adestramento, realizada no último domingo dia 19/05.  

As séries elementar e preliminar foram as que tiveram maior participação e o juiz estadual Sergio de Fiori observou um erro comum em uma figura solicitada em ambas as reprises. “Nas séries que têm o círculo que alonga o pescoço, vi muita gente soltando as rédeas. É uma figura muito difícil, porque mostra se o cavalo está bem posto na mão”, disse.

Para executar bem o movimento, Fiori explica que é preciso estar montando o cavalo de trás para frente e, no círculo, tem de continuar montando, especialmente, da perna interna para a rédea externa, de fora. “Se o cavalo estiver encurvado direitinho no círculo. fica mais fácil de ele procurar o contato na frente”, comentou.

Questionado sobre o porquê de as pessoas errarem, o juiz disse que, muitas vezes, o cavalo não está corretamente colocado na mão e, assim, quando se alonga a rédea, o cavalo aproveita para levantar a cabeça. “Se ele estiver bem posto na mão e com as costas arredondadas, quando você alongar o tamanho das rédeas, a resposta dele vai ser alongar o pescoço. É o começo da escala de treinamento.”

Já sobre o contato, a diretora da Confederação Brasileira de Hipismo e juíza internacional FEI 4*, Sandra Smith, disse que é preciso insistir sempre. “Quando achar que estiver bom, vai mais um pouquinho. É sempre de trás para frente e com contato. Ritmo, descontração e contato, principalmente, para esta fase [séries mais baixas] isso é o mais importante”, apontou.

Além do contato, a juíza ressaltou a importância de se desenhar bem a prova, acertando o tamanho dos círculos e de fazer os cantos. “Teve uma prova que a pessoa não passou um canto; só passou o canto quando era círculo e não tinha de passar. Por isto, insisto nisto, porque o canto está lá para ajudar e não atrapalhar. Quando subir de categoria, é o canto que vai ajudar a organizar, engajar e a equilibrar o cavalo”, pontuou.

Lindinha_Sandra_Sergio-foto Carol Chemin
Juízes da Copa CHSA: Lindinha Macedo, Sandra Smith e Sérgio de Fiori

A juíza nacional Lindinha Macedo também salientou a importância de se desenhar bem a prova e acrescentou que os atletas precisam estudar as reprises e saber o que está sendo exigido em cada figura. “A mudança de pé simples é através do passo. Tem de caracterizar o passo; dar um, dois, três passos e mudar”, exemplificou.

Uma dica que ela deu foi treinar os exercícios que valem peso dois, porque é onde se vai ganhar ou perder muitos pontos. “Tem de estudar a prova, ver onde o peso é dois e trabalhar com foco naquilo que vai ganhar mais nota”, disse. Uma das figuras que é peso dois é o passo livre. Para este exercício, ela lembrou que é preciso ter transpiste, energia, fluência, estar nos quatro tempos, ter bastante atividade de posterior — “porque no passo não tem impulsão”. “Os cavaleiros têm de estudar a reprise, conversar com o professor, fazer clínicas, se inteirar, fazer cursos, porque o progresso só vem por aí. Os juízes estão muito atentos e conseguem perceber quem são os cavaleiros que estão melhorando”, sinalizou.

isabela-travassos-carol-chemin.jpeg
Isabela Travassos fez 67,650% com Van Gogh na média 2, ficando em segundo lugar, atrás de João Victor Oliva e Jorge V.O (68,504%)

Os três juízes avaliaram positivamente o número de inscritos — total de 35 conjuntos — principalmente por ser uma etapa do ranking interno e sem contar pontos para, por exemplo, o Troféu Eficiência. A juíza nacional Lindinha Macedo ressaltou ainda a participação do cavaleiro olímpico e medalha de bronze por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Toronto em 2015, João Victor Oliva, e Isabela Renault Travassos, que integrou a equipe brasileira no Pan de Winnipeg em 1999, obtendo a 13ª colocação.

“O adestramento está muito mais movimentado e com bons juízes. Estou muito feliz desde o começo do ano, porque estou vendo está melhorando”, disse a juíza nacional. “Nesta prova tiveram o João [Oliva], que é cavaleiro olímpico e pan-americano, e ele entrar no ranking é uma lição de humildade e sabedoria. Também teve a Isabela Travassos que voltou para a pista; ela era muito boa cavaleira, mas tinha parado de montar e voltou. Acho que tudo está indo muito bem”, afirmou.

Sandra Smith destacou o julgamento parelho entre os juízes, ou seja, sem discrepância grande entre as notas atribuídas. “Achei o nível bom e organização muito boa, a Carol [Ana Carolina Chemin, diretora de adestramento do CHSA] está de parabéns; ela é muito esforçada, quer fazer as coisas”, destacou, dando como exemplo a retirada de uma cerca viva que existia entre as pistas e impedia os cavalos de enxergarem o que estava acontecendo ao lado, deixando as pistas mais integradas.

19 de maio: 4ª etapa — Cia Atlética
Programa | Ordens de entradaResultados

A etapa teve transmissão ao vivo em vídeo pela Santo Antônio Filmes; entre em contato (codhec@gmail.com) para adquirir o vídeo da sua prova.

Copa Santo Amaro
Os três primeiros colocados de cada categoria receberão números para sorteio da premiação a ser realizado no final do ano. Os sócios concorrerão (junto com os sócios do salto) a um ano de estabulagem e a um ano de inscrição gratuita na Copa Santo Amaro de Adestramento 2020. Os não-sócios concorrerão a um ano de inscrição gratuita.

Os números serão distribuídos conforme a classificação, sendo que o 1º colocado recebe seis números; o 2º colocado, quatro números e o 3º colocado, dois. Leia matéria completa aqui.

Para disputar a oitava edição da Copa Santo Amaro de Adestramento, os conjuntos têm de participar de, pelo menos, cinco das oito provas do calendário. A classificação será feita pela somatória dos índices porcentuais das etapas, com três descartes dos menores porcentuais. Diferentemente de anos anteriores, não há etapa obrigatória e nem provas com peso dois. Serão premiados com troféus os campeões e vice em cada série e categoria.

Acompanhe a página especial com a cobertura completa da temporada 2019 da Copa Santo Amaro de Adestramento

Foto: Ana Carolina Chemin

Uma resposta para “Juízes da Copa CHSA dão dicas de como melhorar o desempenho nas provas”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.