FPH pode aumentar etapas do paraequestre

A Federação Paulista de Hipismo pode aumentar o número de etapas do campeonato paraequestre em 2020. O calendário e o regulamento para este ano ainda não foram publicados, mas, em entrevista a Adestramento Brasil, o diretor da modalidade Syllas Jadach adiantou alguns objetivos da entidade para fomentar o paraequestre em São Paulo.


Apoie_AB_PayPalSe você acompanha a nossa cobertura, sabe que informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Seja um apoiador e valorize o jornalismo profissional!


A FPH também divulgou os ganhadores do Troféu Eficiência da modalidade paraequestre, que, em 2019, teve a participação de seis conjuntos. Veja aqui os resultados.

“Foi uma boa temporada. Tivemos uma boa representação no Campeonato Brasileiro e no Campeonato Paulista tivemos, inclusive, a participação de um conjunto de Minas Gerais”, apontou Syllas Jadach, diretor do paraequestre na Federação Paulista de Hipismo (FPH).

No ano passado, as provas do campeonato paraequestre acabaram se confundindo com o ranking do Troféu Eficiência, tanto que o campeão paulista é mesmo o vencedor do Troféu Eficiência. A ideia é que ambas as premiações se diferenciem, mas, segundo Syllas Jadach, para isto ocorrer é necessário aumentar o número de etapas, o que está nos planos da FPH. Nos últimos dois anos, 2018 e 2019, o campeonato teve quatro etapas.

Além disso, a FPH almeja incrementar a participação de São Paulo no Campeonato Brasileiro. A capital federal ainda domina no paraequestre, mas aos poucos outros Estados têm aumentado a participação. Ainda assim, os títulos de equipe campeã e vice-campeã permaneceram, em 2019, com a Federação Hípica de Brasília. A Federação Paulista de Hipismo ficou em terceiro (358,182%) com time formado por Camila Fernanda Bueno e Lord da Campagna (grau 4); Luiz Paulo Galdino e Mexicana da Campagna (grau 3) e Rodolfo Luis Bertassoli Lucas e Zoonito da Boa Nova (grau 4).  No individual, destaque para Rodolfo Luis Bertassoli Lucas e Zoonito da Boa Nova que venceram o grau quatro representando São Paulo.

Outra meta é contar com juiz de paddock que tenha mais conhecimento do paraequestre nas provas. As competições estaduais da modalidade são realizadas junto com etapas de rankings internos das hípicas ou com etapas do Troféu Eficiência do adestramento. “Vimos a necessidade de ter uma pessoa que conheça mais o esporte, tanto para dar suporte melhor aos atletas como para organizar melhor as provas. A medida que o esporte vem se desenvolvendo no Estado surgiu esta necessidade”, explicou Jadach.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.