Como fazer o cavalo ficar redondo?

AB_Pergunte_expert-peqUma das perguntas mais recebidas na seção Pergunte ao Expert é com relação a como colocar o cavalo na mão. Yara do Amaral Fernandes e André Ganc já escreveram sobre o assunto — leiam aqui e aqui. Um capítulo do livro de Ingrid Borghoff Troyko também aborda o tema e aponta que colocar artificialmente a cabeça “quebra” terceira vértebra. Desta vez, quem dá dicas é Clara Machado, amazona profissional de adestramento, FEI Coach Level 2 e fundadora do Dressage Team RS.

Clara Machado explica que gosta muito de fazer transições para buscar a ativação dos posteriores e o engajamento do cavalo. Confira as dicas:

“Um cavalo fica “redondo” quando está no bridão — ou, usando a expressão em inglês, “on the bit”. Isso significa que ele está posto na mão, ou seja, quando responde atentamente e com a devida precisão às ajudas do cavaleiro.

Existem muitas maneiras e diversos exercícios que são executados para se alcançar este estágio. Eu gosto muito de utilizar os exercícios de transições (para baixo e para cima) mesclados com círculos e alguns movimentos laterais. Estes exercícios devem ser executados no período de aquecimento do cavalo.

As transições são essenciais para a ativação dos posteriores e o engajamento do cavalo. O trabalho em circulo é fundamental para se obter a encurvatura e a descontração do dorso, assim como os movimentos laterais. Um exercício muito bom e muito simples de ser executado é o TPV (trabalho progressivo em um círculo de 20 metros).

Este exercício, que é todo executado em um círculo de 20 metros, se inicia com o cavalo ao passo, passando para uma transição para cima (trote), voltando para uma transição para baixo (passo) de forma a passar a trotar na maior parte do tempo e iniciar transições curtas para o passo (duas a três passadas de passo, voltando ao trote em seguida) de forma progressiva, executando mudanças de direção dentro do círculo. A seguir, se passa às transições do trote ao galope, seguindo a mesma lógica (galope, transição para o trote, duas a três batidas de trote e galope novamente).

Em um estágio mais avançado pode-se executar as transições do galope ao passo, seguindo o mesmo critério de progressão. Neste exercício pode-se incluir entre as transições no trote duas a três passadas em espádua à frente ou adentro e no galope duas ou três passadas de espádua à frente. Desta forma, ativa-se o engajamento dos posteriores, gera-se impulsão e, ao final, o resultado é um cavalo “redondo”, posto na mão e apto para desempenhar exercícios mais complexos.”

A seção Pergunte ao expert tem como objetivo responder a dúvidas enviadas pelos leitores. A cada questão selecionamos um atleta profissional para respondê-la. Tem alguma pergunta? Envie para contato@adestramentobrasil.com


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Prefere anunciar? Confira o mídia kit e fique por dentro das opções para divulgar a sua marca: escreva para contato@adestramentobrasil.com


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.