O que significa colocar o cavalo na mão? Yara Fernandes responde

O que significa ter o “cavalo na mão” e como fazer isto? A questão é um dos temas mais recorrentes a quem está aprendendo adestramento e, por isto, Adestramento Brasil recebe constantemente perguntas sobre como buscar o contato e conseguir deixar o cavalo na mão. Em outubro de 2017, o treinador e juiz Andre Ganc já havia opinado sobre o assunto e, desta vez, quem dá dicas é Yara do Amaral Fernandes. A amazona representou o Time Brasil, no final do ano passado, no CDI* Buenos Aires quando o Brasil conquistou o primeiro lugar e, assim, a vaga para concorrer por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Lima.


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.


Montando Dileto HI, Yara do Amaral Fernandes disputou, neste ano, os quatro CDIs 2* em small tour. Ela começou a montar aos seis anos praticando volteio na hípica Manège Alphaville – leia um pouco da trajetória da atleta aqui.

“Um cavalo está ‘na mão’ quando o seu pescoço está arredondado, mais ou menos elevado dependendo do estágio de reunião, e com um contato leve e constante.
Porém, para ter um cavalo ‘na mão’ é necessário muito mais do que somente o uso dessas (das mãos do cavaleiro/a). É um reflexo de um bom trabalho de base e, consequentemente, de um bom engajamento e correta utilização do dorso.

Um cavalo tenso no dorso, que não arredonda as costas, muitas vezes, terá problemas com o contato, podendo brigar contra esse ou ainda fugir à embocadura – trazendo o chanfro para trás da vertical (invertido).

Do mesmo modo, um cavaleiro que não faz o correto uso das ajudas também pode gerar tensão no cavalo e ter problemas com o contato (assento e mãos muito pesados, por exemplo).

Exercícios laterais, como espádua a dentro e cessão à perna, são ótimos para o cavalo aprender a arredondar na perna interna e pegar contato na rédea de fora (“inside leg to outside rein”), melhorando cada vez mais o contato e, assim, o engajamento.”

A seção Pergunte ao expert tem como objetivo responder a dúvidas enviadas pelos leitores. A cada questão selecionamos um atleta profissional para respondê-la. Tem alguma pergunta? Envie para contato@adestramentobrasil.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.