Disputa na forte 2 com novos conjuntos marca abertura da temporada FPH

Onze conjuntos, sendo nove sêniores, disputaram a série forte 2 na abertura da temporada oficial da Federação Paulista de Hipismo. A prova foi marcada por estreias, como a do vencedor da série, Murilo Augusto Machado com Jorge V.O, dando uma ideia de como será acirrada a competição para vagas na seleção brasileira para os Jogos Sul-Americanos do Paraguai (Odesur). Para os juízes, o saldo foi positivo.

https://www.paypal.com/donate/?hosted_button_id=J56ZYZZLKPPV4&source=url

Em 2022, a Federação Paulista voltou a colocar as etapas estaduais, válidas para o Troféu Eficiência, junto com rankings da Sociedade Hípica Paulista e do Clube Hípico de Santo Amaro. No último sábado (05/03), o início da da temporada ocorreu junto com a segunda etapa do Ranking de Adestramento da Sociedade Hípica Paulista e teve um total de 68 conjuntos em pista, sendo a mais concorrida a forte 2 sênior (profissional), seguida da preliminar amador (com sete concorrentes) e da média 2 amador e elementar profissional (com cinco em cada).

Estreando na São Jorge e de olho em uma vaga da equipe, Murilo Augusto (foto) sentiu a transição entre as provas de cavalos novos, que vinha fazendo com Jorge, e a reprise prêmio São Jorge. “Cavalos novos é uma prova mais livre, dá mais liberdade para o cavalo e o julgamento dela é mais fácil. Já na São Jorge, você é julgado por cada movimento, enquanto cavalos novos é passo, trote, galope e impressão geral. Essa transição para mim foi difícil, porque fiz cavalos novos 4, 5, 6 e 7 anos e nunca tinha feito PSJ”, disse.

Ele também comentou sobre o calor — o dia estava muito quente —, o que cansou um pouco o lusitano. “Foi muito novo para mim; foi uma estreia e eu fui me adaptando aos exercícios que são muito rápidos, um atrás do outro. Isso para mim foi novo e difícil. Fizemos uma prova limpa, estou contente, e sabemos o que tem de melhorar”, ponderou.

Agora, o objetivo dele é tentar uma das vagas da equipe. “Desde o começo, fizemos o projeto com o Jorge de ir fazendo esta escala até chegar na São Jorge e por acaso este ano que ele estreou na São Jorge é o ano do Sul-Americano. Pretendemos tentar uma vaga. Estou bem ansioso para as próximas, porque sabemos que tem muito a melhorar”, contou.

Bom nível
Do lado dos juízes, Natacha Waddell, que julgou a pista 1 (cavalos novos, média 1, forte 1 e forte 2), avaliou que, na forte 2, havia cavalos com bastante potencial, o que refletiu em notas altas.

“É sempre bom ver cavalos bem montados e de qualidade. Obviamente, na forte 2 também tiveram cavaleiros e cavalos com mais ou menos qualidades; nos cavaleiros muito menos experientes as notas caem um pouco. Mas, de modo geral, tivemos muitos cavalos na forte 2 e posso imaginar que seja por causa de Odesur e quase todo mundo estava no nível adequado”, disse a juíza internacional FEI 4*.

Em cavalos novos, Waddell ponderou que os animais que se apresentaram conseguiram fazer os requisitos da prova. Na média 1 disse que a qualidade foi razoável e na forte 1 afirmou que houve gratas surpresas com novos conjuntos se mostrando muito à vontade na série. “Foi uma boa estreia e foi muito bom ver que na abertura da FHP houve realmente um número de inscrição significativo. A federação está de parabéns”, disse.

Na mesma linha, Marcio Navarro Camargo, que também julgou a pista 1, apontou que houve “progressão com cavalos que estavam em quatro anos fazendo a categoria cinco anos muito bem”, disse. Na forte 2, ressaltou o nível muito bom dos conjuntos, obtendo porcentuais na casa dos 67% e 68%.

“Vi cavalos entrando na São Jorge pela primeira vez, então, tem algumas arestas para acertar; tem de continuar o treinamento, fazer os exercícios isoladamente até atingir a perfeição, evitar de treinar muito a reprise. A PSJ tem alguns segredos, que alguns exercícios emendam no outro, então, é manter as encurvaturas, não ficar colocando o cavalo reto para depois tentar encurvar, aproveitar a espádua adentro para aproveitar o círculo e aproveitar o apoio”, respondeu o juiz FEI 2*, quando questionado sobre pontos que os cavaleiros deveriam observar.

Julgando a pista dois, Syllas Jadach Oliveira Lima destacou as boas condições dos conjuntos. “A gente imagina que, na retomada, as pessoas voltem fora de forma, mas não teve muito prejuízo, os conjuntos voltaram praticamente em boas condições, mantendo o que vinham fazendo no ano passado”, pontuou.

2 respostas para ‘Disputa na forte 2 com novos conjuntos marca abertura da temporada FPH’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.