Três empates e 11 acima dos 66% marcam forte disputa em small tour

ATUALIZADA – A terceira etapa do Ranking da Sociedade Hípica Paulista, válida como temporada oficial da Federação Paulista de Hipismo, deu uma prévia de como deve se dar a corrida por uma vaga na equipe brasileira para os Jogos Sul-Americanos do Paraguai (Odesur 2022) em outubro deste ano. Foram 17 conjuntos seniores competindo na reprise prêmio São Jorge e quatro no grande prêmio. Em small tour, a disputa foi tão acirrada que houve empates na primeira (68,824%), terceira (68,015%) e quinta colocações (67,574%). Com julgamento da juíza FEI 4* Sandra Smith e do juiz FEI 2* Márcio Camargo, dos 17 concorrentes na forte 2 sênior, 11 pontuaram acima dos 66%.

Em sua primeira prova da temporada 2022, depois do vice-campeonato brasileiro sênior em novembro de 2021, Paulo Cesar dos Santos e Fidel da Sasa JE empataram com Eduardo Alves de Lima e Florisbela, conjunto campeão brasileiro sênior em 2022, com 68,824% — no CBA, ambos pontuaram pouco abaixo dos 71%.

“Gostei muito da minha reprise. O Fidel estava muito bem; ainda há alguns detalhes para afinar, mas senti muita confiança de que estamos no caminho certo”, disse Paulo Cesar ao Adestramento Brasil. “Agora é afinar pros CDIs que vêm pela frente”, completou.

Murilo Augusto Machado e Jorge V.P, que ganharam a abertura da temporada da FPH, em março, empataram com Jeferson Rodrigo Pereira, o Cuta, que retornou às pistas com Ferragamo Crystal. Ambos cravaram 68,015% e subiram ao pódio na terceira colocação. Em recente entrevista, o cavaleiro do Haras Crystal havia adiantado que pretende disputar as seletivas em small tour para o Odesur com Ferragamo Crystal, com quem ficou em 4º no Campeonato Brasileiro em 2021, e com Everest Crystal com quem se sagrou vice-campeão brasileiro em 2020. Assim como Paulo Cesar, da Sasa, Cuta não competia desde o CBA 2021.

No empate da quinta colocação, ficaram Frederico Correa Mandrot, que subiu Galileu LS da forte 1 para small tour, e Alexandre Morais de Oliveira com Casmurro HI, pontuando 67,574%.

Em big tour, Victor Trielli Ávila venceu a prova de grande prêmio com Corsario IGS com 66,631%, seguido de Micheline Ivette Shulze que fez 65,164% com Brentina Comando SN. Ela também se apresentou com Domino e fechou com 64,728%, no terceiro posto.

A prova, realizada no último sábado (30/04), teve 113 conjuntos na relação de inscritos e contou como prova oficial da FPH, valendo para o Troféu Eficiência. Além da Sandra Smith e de Marcio Camargo, julgaram as provas, Sonia Hanssen, Syllas Jadach Oliveira Lima e Sergio de Fiori, juiz estadual e diretor de adestramento da CBH.

30 de abril — SHP (SP)

Seletivas para Odesur
Para formar a equipe que representará o Brasil na 12ª edição dos Jogos Sul-Americanos, a Confederação Brasileira de Hipismo avaliará os conjuntos competindo no Brasil em dois concursos de adestramento internacionais (CDI 3*), que ocorrem em julho e em agosto.

Os resultados considerados para a seleção deverão ser obtidos no período de 1º de julho a 28 de agosto de 2022 e será considerada, a título da seleção, a média dos porcentuais obtidos nas provas de São Jorge e intermediária 1 para small tour e de grande prêmio e GP especial no big tour — neste último, serão acrescentados três pontos porcentuais (3 p.p) à nota final.

A CBH já manifestou que almeja contar com conjuntos obtendo porcentuais acima dos 68% para a formação das equipes de adestramento, tanto para representar o Brasil no Campeonato Sul-Americano Sênior, o chamado Odesur, como no Campeonato Mundial em Herning, na Dinamarca, em agosto.

Além da seleção, é obrigatório que o conjunto obtenha o certificado de capacidade (COC), que exige que todos os conjuntos competindo no Odesur devem ter alcançado, entre 1º de janeiro de 2021 e 29 de agosto de 2022, os índices mínimos de elegibilidade.

>>> Acesse a planilha que Adestramento Brasil preparou para compilar todos os resultados da seleção e do COC

Os conjuntos de small tour devem atingir uma média de, ao menos, 62% entre as reprises prêmio São Jorge (PSJ) e intermediária 1 no mesmo evento, cujo júri de campo deve contar com, ao menos, dois juízes FEI de nacionalidades diferentes entre si e diferentes da nacionalidade do atleta.

Para small tour, são necessários dois índices desses em dois eventos distintos e os requisitos mínimos podem ser obtidos em concursos nacionais (CANs) que tenham no júri juízes FEI dentro das exigências. A média nestes dois eventos será a pontuação final.

Já os conjuntos de big tour devem atingir 60% de média final em um CDI 2* ou acima em uma reprise de GP.

Assim, o calendário de provas para os próximos meses está agitado. Em maio, um CAN contará com juízes internacionais da Argentina (Ingrid Everett, FEI 2) e da Dinamarca (Christine Prip, e FEI 3) e, portanto, valerá para obtenção de índice para o COC. Em julho, haverá um CDI 2* em Tatuí, entre os dias 8 e 10 ,junto com CAN, temporada FPH e o 2º Campeonato Paulista de Cavalos Novos 4, 5, 6 e 7 anos. No mesmo mês, entre 22 e 24, a SHP recebe um CDI 3* — seletiva para Odesur — e um CAN. Em agosto, novamente em Tatuí, haverá o segundo CDI 3* da seletiva para o Sul-Americano.

=> Regras para seleção do Time Brasil – Odesur

* Atualizada para correção: diferente do que estava no Gira, quem julgou a forte 2 foi o juiz Márcio Camargo e não Sergio de Fiori.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.