Olympia começa com pódio britânico no GP e Charlotte Dujardin/Freestyle em 1º

Charlotte Dujardin com Freestyle foi a grande estrela da noite desta segunda-feira (16/12) na prova com uma versão encurtada da reprise de grande prêmio no CDI-W do Olympia Horse Show, que segue até domingo (22/12) em Londres, na Inglaterra. O pódio foi 100% britânico com Carl Hester e Hawtins Delicato em segundo e Charlotte Fry com Everdale em terceiro.


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Prefere anunciar? Confira o mídia kit e fique por dentro das opções para divulgar a sua marca: escreva para contato@adestramentobrasil.com


Sétima a entrar, Charlotte Fry e Everdale fizeram 75,368% e tomaram a liderança, até então ocupada por Anders Dahl e Fidelio van het Bloemenhof. Fry permaneceu em primeiro até ser desbancada por Charlotte Dujardin e seus 81,553% com Freestyle. Superaplaudida pelo público, Dujardin disse que gostou da prova de GP mais curta e lembrou que a égua ainda é muito nova. “Foi o segundo indoor da égua”, disse.

Na sequência de Dujardin, Carl Hester e Delicato tomaram o segundo lugar com 75,789%. Ao comentar sua prova, Hester que a atmosfera das provas muda as coisas e que vai trabalhar para a prova de terça, 17/12, quando ocorrem as provas de GP no estilo livre.

Montando o lusitano Equador, João Miguel Torrao fez 69,658% e disse que gostou da prova. “Eu fiz alguns erros, mas é a nossa primeira vez em um evento tão grande. E estou orgulhoso de como ele se comportou”, avaliou.

GP curto
O modelo de um GP mais curto já havia sido testado em 2018 e recebido diversas críticas. Neste ano, um novo formato de reprise “encurtada” de grande prêmio foi testado com os 16 conjuntos que disputaram a competição, sendo que muitos deles participaram pela primeira vez de prova no Olympia Horse Show, como Charlotte Fry e João Miguel Torrao.  Dentro do formato, após a apresentação dos conjuntos, os atletas descem dos animais e vão para a pista para serem entrevistados e fazer uma avaliação do desempenho.

Ao analisar os impactos da versão encurtada de GP, o Global Dressage Analytics apontou que o novo teste tem pouca relação com o grande prêmio regular. “Os mesmos movimentos estão lá, mas a importância relativa é bem diferente. O PPT (passage-piaffe-transitions) foi rebaixado para apenas 81% do que normalmente é, enquanto o passo é 1,47 vez mais importante que o normal”, assinalou em um post no Facebook.  Por ser uma prova diferente, o GP de Olympia não conta pontos para os ranking olímpico da FEI e nem vale para obtenção de índices. Confira no fim do programa a reprise.

Ordem de entrada | Resultados

O júri de campo para a prova de GP foi formado por juízes FEI 5* Katrina Wuest (Alemanha), Francis Verbeek van Rooy (Holanda), Isabelle Judet (França), Stephen Clarke (Reino Unido) e Andrew Gardner (Reino Unido).

Em sete dias de evento, o Olympia Horse Show reúne provas válidas como etapas da Coopa do Mundo da FEI em adestramento, salto e atrelagem.  As provas de GP foram transmitidas pelo canal do YouTube da FEI:

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.