CAN: Raquel Mattos e Dileto HI se mantêm na casa dos 70% e ganham a inter 1

Raquel Mendonça Maurell de Mattos e Dileto HI saem invictos do concurso de adestramento nacional (CAN) ao fechar a prova da intermediária 1 com 70,196%. Segundo da série a entrar em pista, o conjunto manteve o porcentual na casa dos 70% — no dia anterior, fizeram 70,294% na reprise prêmio São Jorge. Paulo Cesar dos Santos com Fidel da Sasa JE subiu para o segundo posto, ao fazer 69,314%, e Eduardo Alves de Lima ficou em terceiro na inter 1 com Florisbela V.O (69,216%).

O segundo dia de concurso, realizado durante a  40ª Exposição Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano, na Sociedade Hípica Paulista, teve 50 conjuntos em pista, menos que no dia anterior, uma vez que o segundo dia da Copa ABPSL foi cancelada pela associação. 

“É um lugar super agradável. É divertido olhar para todos esses cavalos, que não são do mesmo tipo de cavalos que eu vejo na Europa, mas são cavalos super legais e boas montarias também”, avaliou a dinamarquesa Christine Prip, juíza FEI 3*. Foi a primeira vez dela julgando no Brasil. 

Questionada sobre o que achou das apresentações de small tour, tendo em vista que os conjuntos disputando o CAN buscam índice para o requerimento mínimo para Odesur – Asu 2022, Prip comentou que entre os primeiros colocados ela viu montarias muito boas e cavalos superinteressantes. “Eu fiquei muito positivamente surpresa”, ressaltou.

“Gostei muito da forma como os cavalos foram apresentados, de uma forma muito suave, uma equitação suave”, completou. Com respeito a dicas, ela salientou que alguns animais poderiam trabalhar mais a impulsão na reunião, talvez até abrindo mais o frame. “Desenvolver mais a impulsão e o engajamento vindo de trás”, resumiu. 

>>> Confira as ordens de entrada e resultados na página especial – calendário 2022.

A juíza argentina Ingrid Everett, FEI 2*, que já esteve antes no Brasil julgando, ressaltou a grande quantidade de conjuntos nas provas. Em small tour, ela destacou o nível dos concorrentes. “Vi conjuntos muito interessantes e muito competitivos, com muitos highlights. Deixei comentários nas súmulas, mas, de forma geral, a performance foi muito boa”, destacou.

O CAN e a Copa ABPSL ocorrem durante a 40ª Exposição Internacional do Cavalo Puro Sangue Lusitano, na Sociedade Hípica Paulista. No total, as competições juntas somam 76 conjuntos inscritos, sendo os profissionais a maioria e a forte 2 sênior, a mais disputada, com 18 concorrentes.

Finalizado o CAN, praticamente todos os conjuntos de small tour alcançaram o porcentual médio para o primeiro índice para o certificado de capacidade (COC). Adestramento Brasil está compilando em planilha as notas para compor índices para COC, bem como as notas para a seletiva do Time Brasil. Acompanhe aqui.

CAN vale para índice para Odesur
Todos os conjuntos competindo no Odesur – Asu 2022 devem ter alcançado, entre 01 de janeiro de 2021 e 29 de agosto de 2022, os índices mínimos de elegibilidade para obterem o certificado de capacidade (COC). Os conjuntos de small tour têm atingir uma média de, ao menos, 62% entre as reprises prêmio São Jorge (PSJ) e intermediária 1 no mesmo evento.

São necessários dois índices desses em dois eventos distintos para obter o COC. A média nestes dois eventos será a pontuação final. Já os conjuntos de big tour devem atingir 60% de média final em um CDI 2* ou acima em uma reprise de GP.

O COC é pré-requisito para competir nos Jogos Sul-Americanos. Além dele, a Confederação Brasileira de Hipismo fará um processo seletivo para a escolha dos conjuntos que integrarão a equipe brasileira na 12ª edição dos Jogos Sul-Americanos, que ocorre em outubro em Assunção, capital do Paraguai.

Os resultados considerados para a seleção pela CBH deverão ser obtidos no período 01 de julho a 28 de agosto de 2022. Os conjuntos no Brasil terão dois CDIs 3* observatórios no País: de 22 a 24 de julho na capital paulista e de 26 a 28 de agosto em Tatuí, no interior de São Paulo.

Os conjuntos competindo em small tour terão calculadas, para cada evento, a média dos seus porcentuais finais das reprises de São Jorge e intermediária 1. O CDI 3* em que o conjunto atingir a maior pontuação média (PSJ + inter1) será considerado para a seletiva. Já em big tour serão consideradas, para cada evento, a média dos porcentuais finais das reprises de grande prêmio e grande prêmio especial, tendo acrescentados 3 p.p.

Serão observados pela CBH para formação do Time Brasil apenas resultados em eventos CDI 3* ou superior e desde que o conjunto participe de todas as provas do CDI em questão. O CDI 3* no qual o conjunto atingir a maior pontuação será considerado para a escalação. Conjuntos de small tour e big tour disputarão as vagas da equipe indistintamente.

=> Confira o documento completo com o novo processo de seleção.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.