Trabalho, treinamento e dedicação: a fórmula de João Victor Oliva para se manter nos 70%

“A gente vem mantendo a nossa média acima dos 70% devido ao trabalho, ao treinamento e à dedicação. É um cavalo com muita qualidade e eu venho entendendo ele cada vez mais”, avaliou João Victor Marcari Oliva, em entrevista ao Adestramento Brasil, sobre sua participação com o lusitano Escorial Horsecampline na IFEMA Madrid Horse Week. Foi a primeira competição, após o Campeonato Mundial de Adestramento de Herning, realizado em agosto na Dinamarca, e Oliva fez 76,655% no grande prêmio freestyle e 71,630% no GP.

Você gosta do Adestramento Brasil?

Para este site jornalístico — que traz as principais notícias da modalidade — seguir existindo, ele precisa de financiamento. Afinal, dá um trabalhão manter todos atualizados!

Contribua para a continuidade do site: seja um anunciante ou contribua no valor que quiser via PayPal (cartão de crédito) ou Pix (contato@adestramentobrasil.com).

No Mundial de Adestramento, Oliva, com Escorial, fez história ao ser primeiro representante do Brasil a passar para a segunda fase da competição, fechando o GP especial com 73,313%. O conjunto terminou em 21º lugar. Após o Mundial de Herning, Escorial ficou um tempo em descanso e agora está voltando à forma física normalmente, contou Oliva.

Competindo na quarta etapa da liga da Europa Ocidental da Copa do Mundo da FEI 2022/2023, o brasileiro, radicado na Europa, se classificou em quinto lugar, tanto no GP como no kür, entre 14 conjuntos inscritos em ambas as provas.

“Foi o primeiro indoor Taça do Mundo que eu fiz e o cavalo, no primeiro dia [sexta, 25/11], esquentou um pouco ali, o que custou minha nota no início. Ele fez um grande prêmio com atenção acima do que normalmente a gente vem apresentando, só que, mesmo assim, o cavalo tem momentos onde pontua muito bem, então, a gente conseguiu manter uma nota razoável, porque as qualidades dele conseguiram cobrir os defeitos do GP”, avaliou.

Oliva opinou que poderia ter feito uma nota muito mais alta, se não fossem os percalços. “Mas é aprender com os erros. Fazia tempo que a gente não competia, então, temos de entrar em forma de competição de novo”, ponderou.

Com Escorial, João Oliva se firmou na casa dos 70%, tanto que subiu para ser número 35º do mundo na lista da Federação Equestre Internacional divulgada em novembro. Qual é a fórmula do sucesso? Não tem. Segundo frisou o brasileiro radicado na Europa, as notas refletem trabalho, treinamento e dedicação. E, claro, a qualidade do garanhão. “Ele tem muita qualidade e eu venho entendendo o cavalo cada vez mais, então, o conjunto vem se afirmando cada vez mais”, disse.

>>> Resultados: GP freestyle | GP

Foto: divulgação CBH

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.