WEG 2022: FEI desiste de licitação para todas modalidades

Os Jogos Equestres Mundiais (WEG, na sigla em inglês) podem sofrer drásticas modificações. Depois de abrir, sem sucesso, por duas vezes o processo de licitação para a edição de 2022 de FEI World Equestrian Games, a Federação Equestre Internacional (FEI) aprovou por unanimidade a abertura de um processo de licitação para campeonatos mundiais por disciplinas para 2022, mas com preferência para propostas multidisciplinares. A decisão foi revelada durante a Assembleia Geral da Federação Equestre Internacional e reflete os problemas enfrentados nos Jogos deste ano em Tryon, nos Estados Unidos.  

O FEI Bureau concordou que os campeonatos mundiais de adestramento e paraequestre devem ocorrer juntos. O presidente da FEI, Ingmar de Vos, afirmou que o fato de as competições das modalidades ocorrerem separadamente “não representa necessariamente o fim dos Jogos Equestres Mundiais” e que licitações para sediar WEG 2022 e 2026 para as sete modalidades ainda serão consideradas.

Ele assinalou também que assegurar Jogos para adestramento e paraequestre em 2022 é fundamental, uma vez que WEG serve como classificação para os Jogos Olímpicos de Paris 2024.  Leia aqui a íntegra do documento.

O cronograma exige manifestações de interesse para sediar WEG 2022 até o fim de fevereiro de 2019, seguido de workshops com licitantes para entender suas expectativas e restrições. As propostas seriam totalmente avaliadas durante o segundo e terceiro trimestres de 2019 com reunião presencial na Assembleia Geral da FEI em novembro de 2019.

Os Jogos deste ano (veja cobertura completa de Adestramento Brasil) enfrentaram diversos problemas, sendo a modalidade de enduro a mais afetada. Os problemas incluíram de obras inacabadas e falta de dormitórios para os tratadores a relargada no enduro por informação errada aos competidores e superlotação do hospital veterinário.

A FEI encomendou a um organismo independente, o Equestrian Community Integrity Unit, que elaborasse um estudo sobre os problemas enfrentados em Tryon na competição de enduro. As conclusões do relatório mostram que não houve uma única razão que causou o “falso início da prova”, mas várias questões, sendo a mais importante delas a falta de comunicação entre os funcionários – particularmente a falta de rádios – e também entre o Comitê Organizador, Federações Nacionais e atletas, além de problemas com atrasos para o preparação do vet gate e da trilha (endurance trail) e a decisão de manter uma programação completa de eventos no Tryon International Equestrian Center que detinha uma equipe com poucos recursos necessários para entregar esses eventos e os Jogos.  Leia aqui a íntegra.

Em adestramento, a prova estilo livre foi cancelada devido ao mau tempo. Nesta matéria, Adestramento Brasil relatou parte dos problemas enfrentados em Tryon 2018.

Principais decisões

Assista à transmissão da FEI

Foto: FEI/Liz Gregg

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.