Apenas um conjunto alcança índice CBH no CDI2* de 22/06

Leandro Silva com DiCaprio foi o único conjunto a alcançar o índice estipulado pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH) para a formação da equipe brasileira que representará o País nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019 no concurso de adestramento internacional (CDI2*) de junho. Foi a primeira vez, desde que as provas de observação para a formação da equipe começaram, que Silva e DiCaprio obtiveram porcentual final em prova de grande prêmio acima dos 68% que a CBH colocou como meta para big tour — em small tour, é 69% e nenhum conjunto, disputando a prêmio São Jorge neste sábado 22/06, conseguiu.

Apoie_AB-PAN

“Hoje deu tudo certo. Foi a minha melhor prova, o meu melhor resultado com juiz internacional, então, para mim foi muito bom. A expectativa é ser convocado para a equipe”, disse Silva, que ganhou a prova de grande prêmio. Em entrevista em vídeo no CDI2* de maio, o cavaleiro já havia explicado que gosta de fazer todas as seletivas, porque, além de serem observatórias, é um momento para poder preparar o cavalo, condicioná-lo e ambientá-lo. “Conforme eu havia planejado, ele foi crescendo no decorrer dos concursos”, acrescentou.

No CDI2* de março, Leandro Silva e DiCaprio fizeram 68,088% na intermediária 2 e 67,971% no GP; em abril, 66,814% na inter 2 e 65,833% no GP; e, em maio, 64,159% no GP. Confira os resultados do sábado 22/6 de CDIJ, small tour PSJ e  big tour GP

Segundo lugar no GP, Pedro Almeida e Aoleo (SIS) terminaram com nota final de 67,138%, inferior aos 68,080 do CDI2* de abril e 68,007% do CDI2* de março. O conjunto não disputou o último concurso internacional. “Hoje, foi uma prova regular, sem nenhum grande erro, mas poderia ter tido um pouco mais de atitude do cavalo, mais piaffe e o ziguezague no galope poderia ter sido mais andado, tanto no galope quanto para o lado”, avaliou. Na opinião dele, o Brasil está com um time sólido.

O quarto e último concurso de adestramento internacional (CDI 2*), que visa a selecionar os conjuntos que integrarão a equipe brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, começou na última sexta-feira 21/6 com inspeção veterinária e segue até domingo 23/6 na Sociedade Hípica Paulista. O espanhol Francisco Guerra Díaz foi escalado como juiz internacional FEI 5*.

Em entrevista ao Adestramento Brasil, Guerra considerou que os cavalos, tanto em small quanto em big tour, precisam melhorar a encurvatura. “Em São Jorge, há cavalos que estão bem e há alguns problemas que têm de melhorar. Vi vários cavalos com problemas com encurvatura. Em big tour, há cavalos que fizeram grande prêmio com problemas na passage, piaffe e nas transições, mas quase todos estão fazendo um piaffe correto e um passage de nota 6,5. Mas falta encurvatura nos apoios”, comentou.

Guerra julgou no Brasil em anos anteriores e disse ver melhora. “Mudou muito, houve uma evolução muito grande tanto nos cavalos quanto nos cavaleiros.”

Adestramento Brasil está compilando todas as notas.
Acompanhe a evolução dos porcentuais

Small tour
Nenhum dos conjuntos disputando a reprise prêmio São Jorge alcançou os 69% colocados como meta pela Confederação Brasileira de Hipismo (CBH). João Victor Oliva com Biso das Lezírias venceu com 68,676%, seguido e Mauro Pereira Júnior com Don Enrico AMM (68,431%). Ambos computam quatro índices CBH cada, sendo dois na PSJ e dois na intermediária 1 alcançados nos CDIs 2* de março e abril. Em terceiro, Paulo Cesar dos Santos fez 68,186% com Fidel da Sasa JE, com quem tem dois índices, obtidos no CDI 2* de abril (PSJ e inter 1).

“O conjunto está muito melhor, fiquei contente com a prova de hoje. As três São Jorges que eu fiz foram sem erros, mas acho que tem muita coisa para melhorar. Fui castigado um pouco por um juiz com uma nota bem inferior que as dos outros, mas faz parte, é a opinião de cada um, impossível todos darem a mesma nota”, disse João Victor Oliva. “A gente precisa, para o Pan, escolher uma equipe que faça um bom papel e mostre uma boa montaria no exterior para a gente ganhar a medalha e ir para Olimpíada”, acrescentou.

Já Mauro Junior melhorou o porcentual final com Don Enrico. No último CDI2*, o conjunto fez 67,255% na PSJ e 63,382% na intermediária 1. “Em maio, o julgamento estava muito baixo, tanto que fiquei em segundo lugar com 67%, mas também deu nutaliose no Don Enrico e só fui descobrir depois. Ele caiu entre uma prova e outra quase 10%. Foi gritante, ele estava com algo”, explicou.

“Fiz o planejamento no início do ano para participar das quatro seletivas e foi bom participar das quatro e mostrar que o cavalo está em bom nível, saudável e que está bem de saúde. Primeiro CDI foi muito bem, o segundo melhor ainda e no terceiro nós tivemos algumas falhas e não foi tão bem. Neste, senti ele um pouco tenso, perdemos uma linha de mudança. Ele fez o alongado perfeito, reuniu perfeito, mas, quando eu pedi a mudança, ele desuniu. Tentei partir ao galope e ele não foi. Coloquei ao passo e parti de novo”, contou sobre o desempenho da PSJ deste sábado.


Apoie_AB_PayPalAssim como diversos sites jornalísticos, Adestramento Brasil não fechou o conteúdo para assinantes, mas dependemos do apoio de leitores como você para continuar existindo. 

2 respostas para ‘Apenas um conjunto alcança índice CBH no CDI2* de 22/06’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.