Lima 2019: Brasil entra com equipe de dois conjuntos de small e dois de big tour

Lima, Peru — A equipe brasileira para o adestramento nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, que ainda não havia sido revelada, será de dois conjuntos de small e dois de big tour. A decisão de quem será o reserva do Brasil foi anunciada no fim da tarde deste sábado 27/07, após reunião dos chefes de equipes, quando os países precisam levar a lista de competidores, bem como a ordem de entrada.

Logo-Sasa_limaAssim, o Brasil entra em pista, neste domingo 30/07, com os conjuntos de small tour João Paulo dos Santos e Carthago às 9h16 (fuso local, duas horas antes do Brasil) e João Victor Oliva e Biso das Lezírias às 10h11 e, pelo big tour Leandro Aparecido da Silva com DiCaprio às 15h14 e Pedro Tavares de Almeida e Aoleo (SIS) às 15h46. Mauro Pereira da Silva Júnior e Don Enrico AMM ficaram na reserva e não vão competir.

As equipes podem sofrer alterações até duas horas antes do início das provas, ou seja, sete horas da manhã no horário local de Lima, conforme explicou, em entrevista exclusiva com Adestramento Brasil, Maribel Alonso, delegada técnica para adestramento nos Jogos de Lima.

Ordem de entrada completa – 28/07

Este slideshow necessita de JavaScript.

O Brasil busca no Pan de Lima uma vaga por equipes para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Para os países da América (grupos D para América do Norte e E para Central e do Sul), o Pan designa duas vagas por equipe (máximo de seis atletas), lembrando que Estados Unidos conseguiram a classificação em WEG-Tryon. Desta forma, é preciso conquistar, no mínimo, o bronze para garantir a presença brasileira no Japão, imaginando que EUA fiquem no pódio.

No entanto, para que o país possa disputar a vaga, pelas regras da Federação Equestre Internacional (FEI), é necessário que tenha pelo menos um conjunto na equipe, podendo ter três de small tour e um de big tour ou dois e dois, como o Brasil optou. As equipes que entram com quatro conjuntos podem descartar o pior resultado, já as que entram com três não têm descarte.

Além disto, para a pontuação final por equipe, os times mistos, ou seja, formados por conjuntos de small e de big tour, soma-se 1,5 ponto porcentual às notas dos conjuntos de big tour. Por exemplo, se um conjunto fez 60% no grande prêmio, a nota passa a ser 61,5% para somatória por equipe. Esta bonificação não vale para as notas na competição individual. Confira algumas regras abaixo:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Competição
O primeiro dia de provas será no domingo 28/7 com as reprises prêmio São Jorge para os conjuntos de small tour e grande prêmio para os de big tour, valendo para qualificação por equipe e individual.

No dia seguinte, 29/7, os conjuntos têm de executar as reprise intermediária 1 (small tour) e grande prêmio especial (big tour). Todos os conjuntos que fizerem pontuação maior que 58% estão aptos a disputar as provas de inter 1 e GPS, que valem para competição por equipe e como segunda classificatória individual. É nesta etapa que são definidas as medalhas de ouro, prata e bronze por equipe.

Os conjuntos qualificados para competir a final são submetidos à nova checagem veterinária, no dia 30/07. Eles retornam às pistas para disputar as medalhas de ouro, prata e bronze individuais, no dia 31/7, quando terão de se apresentar com música, no freestyle (inter 1 e GP). Para a competição individual, podem competir três conjuntos por país. Participam da final, 50% dos conjuntos de small tour e 50% de big tour entre mais bem-pontuados, exceto aqueles que não atingiram o índice de 58% na pontuação final.

Principais concorrentes
O México é um rival histórico do Brasil e, na edição passada, no Pan de Toronto, o Brasil ficou com a medalha de bronze por equipe com uma diferença de menos de três pontos. O México convocou dois conjuntos de small tour e dois de big tour, sendo que as amazonas de big tour Martha Fernanda Del Valle e o lusitano de 13 anos Beduino LAM, e a medalhista Bernadette Pujals e o garanhão P.R.E de 18 anos Curioso XXV, são as mais fortes. Veja as notas das seletivas para formação da equipe.

Os Estados Unidos já estão classificados para Tóquio e levaram uma equipe composta apenas de combinações de small tour. No entanto, são os favoritos para levar a medalha de ouro por equipe. O Canadá tem sido cotado para prata e o país precisa da medalha para carimbar o passaporte para Tóquio. Foi convocado um time composto por dois conjuntos de small tour e dois de big tour.

No individual, competindo pela República Dominicana, a amazona Yvonne Losos de Muñiz é uma forte concorrência em Lima. A amazona é dona de duas medalhas de bronze em Jogos Pan-Americanos: competindo em casa, em Santo Domingo, em 2003, e no Rio de Janeiro em 2007.

Saiba mais


Onde assistir

No Brasil, a Record comprou os direitos de transmissão para TV aberta e a SporTV para TV paga. Não dá para ter certeza se o adestramento passará na televisão, mas vale a pena tentar assistir. A Record diz que exibirá 50 horas de programação esportiva no seu canal principal ao longo do Pan; cerca de 3 horas por dia, incluindo noticiários e transmissões ao vivo. É possível também acompanhar os eventos ao vivo no R7.com e conferir as transmissões e as íntegras no Playplus.com.

Segundo matéria na Folha de S.Paulo, a Record News (em UHF) exibirá a maior parte dos eventos. Ela terá 10 horas diárias de transmissão, segundo o grupo de comunicação. A transmissão completa dos eventos ocorrerá através do aplicativo da emissora, o PlayPlus (o pacote para o Pan custa R$ 12,90), que conta com 8 canais digitais.

Ainda de acordo com a Folha, no SporTV, a transmissão será feita por meio de três canais e ocorrerá de forma simultânea no SporTV Play, aplicativo exclusivo para os assinantes. Não haverá transmissão exclusivamente digital do SporTV de nenhum evento.

O fuso para Lima é de duas horas a menos na comparação com Brasília.

Imagem: reprodução Facebook equo.mx


Apoie_AB_PayPalAssim como diversos sites jornalísticos, Adestramento Brasil não fechou o conteúdo para assinantes, mas dependemos do apoio de leitores como você para continuar existindo. 

Uma resposta para “Lima 2019: Brasil entra com equipe de dois conjuntos de small e dois de big tour”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.