Lima 2019: 38 conjuntos estão na disputa; saiba quem foram as baixas

Lima, Peru — Dos 43 cavalos inscritos na inspeção veterinária, 38 constam da ordem de entrada para as provas São Jorge e grande prêmio, no primeiro dia de competições de adestramento nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019. Do Brasil e do Peru era sabido que, dos cinco que estavam na lista do vet check, apenas os quatro poderiam fazer as provas. O Brasil anunciou equipe com dois conjuntos de small tour e dois de big tour no fim de tarde deste sábado 27/07. Já Peru colocará em pista apenas três conjuntos. As outras baixas tiveram motivos diversos, incluindo cavaleiro pego no antidoping por uso de maconha.

Logo-Sasa_limaAo comparar as listas, há baixas como a de Ronald Mauricio Masis com Zar AG, da Costa Rica, e Juliana Uribe Salcedo cujo animal Salice Salentino ficou para reinspeção. Além deles, o Peru concorre com equipe de três (cinco estavam na lista inicial, sendo um reserva) e, do Chile, Mauricio Gonzalez, que montaria Heroe Xxv, foi cortado.

De acordo com matéria do UOL, o cavaleiro foi excluído da competição pelo Comitê Olímpico Chileno (COCh) após ser flagrado em exame antidoping com um metabólito de maconha. O achado foi em um exame seletivo interno realizado pela Federação Equestre do Chile quando detectaram presença de tetra-hidro-canabinol (THC).

Anunciado no início da semana, outro conjunto que ficou fora da competição foi Endel Ots que montaria Lucky Strike pelos Estados Unidos. O castrado hanoveriano de nove anos sofreu ferimentos e foi decidido que ele não deveria viajar para Lima. Assim, a equipe dos EUA, favorita à medalha de ouro, entra em pista com apenas três conjuntos, todos de small tour.

Principais competidores do Brasil, Canadá e México entram em pista com quatro conjuntos em cada equipe e com a mesma composição do Brasil: dois de small e dois de big tour.

Confira a ordem de entrada de 28/07  

Após o período de qualificação, o México selecionou os conjuntos de big tour Martha Fernanda Del Valle, de 31 anos, e o lusitano de 13 anos Beduino LAM, de propriedade dela, e a medalhista Bernadette Pujals, de 51 anos, e o garanhão P.R.E de 18 anos Curioso XXV, de propriedade dela.

Em small tour integram a equipe Jesus Enrique Palacios, de 46 anos, e o garanhão KWPN de oito anos Tinto, de propriedade dele, e Antonio Rivera Galarza, de 52 anos, e Fite, 11 anos de idade, castrado e de propriedade de Erika Baitenmann. Como reserva: Irvin Leina, 33 anos, e Pabellón.

Bernadette Pujals é a competidora internacional mais experiente da equipe mexicana. Ela ganhou a medalha de prata individual e bronze por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo em 2003 e de bronze individual e por equipe em no Pan de Winnipeg em 1999. Tem também três medalhas de ouro, uma de prata e quatro bronze nos Jogos da América Central e Caribe. Pujals ficou em 51º nas Olimpíadas do Rio 2016 e em 11º em Pequim 2008. Nos Jogos Equestres Mundiais de Aachen, em 2006, ficou em 10º.

Antonio Rivera Galarza soma participações em quatro Jogos Pan-Americanos, quatro Jogos da América Central e Caribe, um WEG e a Olimpíada de Sidney no ano 2000.

Forte candidato ao pódio nos Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, o Canadá, que acumula quatro medalhas de prata por equipe seguidas, levou em big tour Jill Irving, de 56 anos, com Degas 12, um oldenburg de 12 anos (Sandro Hit), e Naima Moreira Laliberté, de 22 anos com Statesman, também oldenburg de 12 anos e filho de Sandro Hit. Em small tour, Tina Irwin, de 38 anos, com o oldenburg de 12 anos Laurencio (Laurentio x Donnerhall), e Lindsay Kellock, de 29 anos com Floratina, hanoveriana de 11 anos (Fidertanz x Rubin-Royal).

O Canadá foi prata em Santo Domingo (2003), no Rio de Janeiro (2007), em Guadalajara (2011) e em Toronto (2015). Em 1999, em Winnipeg, a Colômbia levou a prata. Em todas estas edições, os Estados Unidos foram ouro por equipe. No bronze, a disputa foi maior, com México levando em 1999 e 2003, o Brasil em 2007 e em 2015 e a Colômbia em 2011.

Competição
O primeiro dia de provas será no domingo 28/7 com as reprises prêmio São Jorge para os conjuntos de small tour e grande prêmio para os de big tour, valendo para qualificação por equipe e individual.

No dia seguinte, 29/7, os conjuntos têm de executar as reprise intermediária 1 (small tour) e grande prêmio especial (big tour). Todos os conjuntos que fizerem pontuação maior que 58% estão aptos a disputar as provas de inter 1 e GPS, que valem para competição por equipe e como segunda classificatória individual. É nesta etapa que são definidas as medalhas de ouro, prata e bronze por equipe.

Os conjuntos qualificados para competir a final são submetidos à nova checagem veterinária, no dia 30/07. Eles retornam às pistas para disputar as medalhas de ouro, prata e bronze individuais, no dia 31/7, quando terão de se apresentar com música, no freestyle (inter 1 e GP). Para a competição individual, podem competir três conjuntos por país. Participam da final, 50% dos conjuntos de small tour e 50% de big tour entre mais bem-pontuados, exceto aqueles que não atingiram o índice de 58% na pontuação final.

Saiba mais

Foto: Copyright Marcos Brindicci / Lima 2019

 


Apoie_AB_PayPalAssim como diversos sites jornalísticos, Adestramento Brasil não fechou o conteúdo para assinantes, mas dependemos do apoio de leitores como você para continuar existindo. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.