Tag: Big tour

Reprises FEI atualizadas já estão valendo

As reprises internacionais atualizadas da Federação Equestre Internacional (FEI) passaram a valer em 1º de janeiro deste ano. Entre os testes que tiveram mudanças estão intermediária 1, intermediária A, intermediária B, intermediária 2 e grande prêmio. Leia mais

Cathrine Dufour desbanca Werth e vence Saab Top 10

A dinamarquesa Cathrine Dufour montando Atterupgaards Cassidy desbancou a alemã Isabell Werth na prova de GP estilo livre e venceu o concorrido Saab Top, durante o Sweden Internacional Horse Show, realizado de 28/11 a 1/12 em Estocolmo. O Saab Top 10 Dressage seleciona os melhores cavaleiros do mundo tomando como base o FEI World Ranking List em 30 de setembro. Neste ano, a competição distribuiu um total de 2,5 milhões coroas sueca, equivalente a 1,10 milhão de reais, aos mais bem-colocados.
Leia mais

João Victor Oliva fica em 2º no GPS no CDI 3* de Moscou

João Victor Marcari Oliva conquistou a segunda colocação na prova de grande prêmio especial no CDI 3* de Moscou, realizado no último fim de semana na capital da Rússia. O brasileiro fez 65,149% e ficou atrás da russa Olga Ivanova, que pontuou 69,149% com  Avans. No total, oito conjuntos disputaram o GPS. Com 63,426%, Edneu José Senhorini terminou em quinto com Xiripiti. Leia mais

Brasileiros não alcançam índices no CDI 3* de Moscou

ATUALIZADA – Os três conjuntos que disputaram a prova de grande prêmio neste sábado 30/11 no CDI 3* de Moscou não alcançaram os porcentuais necessários (pelo menos 66% de nota final e com juiz FEI 5*) para os requisitos mínimos de elegibilidade (MER, na sigla em inglês para minimum eligibility requirements). João Victor Marcari Oliva fez 65,044% com F-Aron de Massa; Pedro Manuel Tavares de Almeida terminou com nota final de 64,500% com Aoleo e Edneu José Senhorini, 64,044% com Xiripiti. Leia mais

Na Rússia, conjuntos brasileiros disputam GP para tentar o índice

ATUALIZADA – Conjuntos brasileiros entram em pistas russas neste sábado 30/11. Eles competem no CDI 3* de Moscou em busca de conseguir os porcentuais necessários (pelo menos 66% de nota final e com juiz FEI 5*) para os requisitos mínimos de elegibilidade (MER, na sigla em inglês para minimum eligibility requirements). Até o momento, o Brasil tem apenas dois conjuntos com um índice cada e são necessários três conjuntos com dois índices cada até 31 de dezembro deste ano para manter a vaga por equipe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 conquistada com a medalha de bronze por equipe nos Jogos Pan-Americanos de Lima.

Leia mais