FEI fará força-tarefa para endereçar impactos do adiamento dos Jogos de Tóquio

Com a confirmação do adiamento dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio, devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Federação Equestre Internacional (FEI) decidiu criar uma série de forças-tarefas para endereçar os impactos que a mudança terá nas diversas modalidades.


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Prefere anunciar? Confira o mídia kit e fique por dentro das opções para divulgar a sua marca: escreva para contato@adestramentobrasil.com


As forças-tarefas revisarão todas as questões relacionadas ao calendário da FEI, que sofreu com o cancelamentos de diversos concursos internacionais (CDIs) válidos para obtenção de MERs – veja o calendário mais recente aqui, após cancelamentos do CHIO Aachen e Roterdã. Os grupos farão recomendações para a FEI sobre como prosseguir.

A FEI apontou que recebeu garantias do Comitê Olímpico Internacional (COI) de que trabalhará em conjunto com todas as Federações Internacionais para encontrar as melhores soluções para todos os problemas que surgirem, incluindo as datas para reagendamento e impacto que terá no calendário internacional para todos os esportes.

A secretária-geral da FEI, Sabrina Ibáñez, responsável pelo calendário da FEI, vai liderar cada uma das oito força-tarefas. Os vice-presidentes Mark Samuel e Jack Huang serão membros de cada força-tarefa, juntamente com o presidente da Federação Equestre Europeia, Theo Ploegmakers, e o presidente da Associação Internacional de Organizadores Equestres, Peter Bollen. O administrador do calendário da FEI e um representante dos departamentos de tecnologia da informação e jurídico também farão parte das forças-tarefa.

Em um comunicado, o presidente da FEI, Ingmar De Vos, disse que, embora o adiamento possa desapontar em particular todos os atletas em todos os esportes que tinham como meta disputar os Jogos de Tóquio, a decisão pelo adiamento aporta um grau de certeza para que todos possam trabalhar, ainda que não haja as novas datas para Olimpíadas e Paralimpíadas.

“Gostaria de assegurar a todos impactados pela decisão que a FEI já está avaliando como melhor trabalhar para mitigar os efeitos no calendário FEI, nas qualificações e nos requisitos mínimos de elegibilidade (MER)”, afirmou o presidente da FEI.

A confirmação do adiamento para alguma data até o verão no hemisfério Norte, portanto, inverno no Brasil de 2021 se deu na última terça-feira e foi anunciada pelo primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe. Em sua conta do Twitter o PM afirmou que, após conversa com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, ambos decidiram não por cancelar, mas, sim, por postergar os jogos. A decisão foi bem recebida pelos comitês nacionais, uma vez que ainda não se sabe como a pandemia estará em meados deste ano, quando ocorreriam a olimpíada e a paraolimpíada.

 

3 respostas para ‘FEI fará força-tarefa para endereçar impactos do adiamento dos Jogos de Tóquio’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.