O que saber para acompanhar adestramento nos Jogos Olímpicos de Tóquio

Finalmente, os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 vão começar. Ainda em meio à covid-19 que impôs uma edição sem público e com delegações reduzidas. E, se não bastasse a pandemia que afetou os atletas humanos, para os esportes equestres o surto da forma neurológica do herpes vírus equino (EHV-1) impôs desafios e protocolos a mais. Vencidos os obstáculos, os conjuntos encontram-se em solo japonês e o adestramento terá início nesta sexta (23/7), às 9h30 (horário do Japão, 21h30 de quinta no horário de Brasília), com a inspeção veterinária. E Tóquio traz novidades: equipes com três conjuntos e sem descarte; mudança na competição por equipes; e nova formação das ordens de entradas são algumas das modificações. Adestramento Brasil reúne tudo que você precisa saber sobre Tóquio 2020.  

Horários
Tóquio está 12 horas à frente na comparação com o horário de Brasília, o que torna tudo um pouco mais complicado — ou mais sonolento! Coloque o despertador e acompanhe a programação (para quem quiser uma ajudinha na conversão da hora clique aqui):

  • Sexta, 23/7 – 9:30 (Tóquio) => Inspeção veterinária
  • Sábado, 24/7 – 17:00 (Tóquio) => dia 1 das provas de GP (qualificação para equipe e individual)
  • Domingo, 25/7 – 17:00 (Tóquio) => dia 2 das provas de GP (qualificação para equipe e individual)
  • Terça, 27/7 – 17:00 (Tóquio) => Final por equipes; provas de grande prêmio especial
  • Quarta, 28/7 – 10:30 (Tóquio) => Segunda inspeção veterinária
  • Quarta, 28/7 – 17:30 (Tóquio) => Final individual, provas de GP estilo livre

Onde assistir
O Brasil não tem tradição de transmitir os esportes equestres — exceto salto que ganhou muita visibilidade com as medalhas que conquistou. Vale lembrar que os direitos de transmissão dos Jogos são negociados com o Comitê Olímpico Internacional (COI). Por aqui, a TV Globo é a emissora que tem o direito de transmissão com exclusividade na TV aberta. Na TV paga, SporTV contará com quatro canais simultâneos de exibição das modalidades das Olimpíadas. Além disso, haverá sinais disponíveis nos aplicativos dos Canais Globo e da GloboPlay. Para quem gosta de acompanhar tudo dos jogos: todos os 45 sinais olímpicos estarão disponíveis para os assinantes do SporTV na plataforma da operadora e para quem assina o Sportv no Globoplay também.

Único canal fora do Grupo Globo, BandSports terá 24h por dia de conteúdo focado nos Jogos Olímpicos. Segundo Andre Sousa, que vai comentar as apresentações, a BandSports deve transmitir do adestramento e CCE um pedaço onde estão os brasileiros e a totalidade do salto. “Eles passam na TV aberta a parte dos brasileiros; ao menos na olimpíada do Rio foi assim”, explicou Sousa, que é jornalista e profissional do cavalo, sendo sócio-proprietário do Haras Petit- Hallet Brasil e da AS Sport Horses.

O canal de transmissão online ClipMyHorse, que cobre as competições mais importantes na Europa, informou a este noticiário que não passará a Olimpíada. Já a Federação Equestre Internacional (FEI) informou que a NBC, detentora dos direitos de transmissão dos Jogos Olímpicos, transmitirá ao vivo todos os eventos equestres e que os resultados serão postados em tempo real. Vamos aos links:

Novas regras
A Federação Equestre Internacional (FEI) fez algumas alterações no modelo de competição do adestramento nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. As equipes serão de três conjuntos e não mais quatro podendo haver um descarte. Agora, todos os resultados contam. No primeiro dia de provas, é disputada a reprise de grande prêmio e todos os conjuntos inscritos e que passaram na inspeção veterinária competem. O GP serve de classificação para a final individual no GP estilo livre com música e para a competição por equipe, que será definida na prova GP especial com música.

A ordem de entrada também sofreu alteração para ter conjuntos de elite em cada um dos blocos. Agora, a divisão de qual conjunto entra em qual momento será feita com base no ranking da FEI. Para o GP, os atletas serão divididos em seis grupos, sendo três grupos no primeiro dia e três no segundo. A composição dos grupos será baseada na posição do conjunto na FEI World Ranking List — há regras específicas para o caso dos países que caírem com todos os atletas no mesmo dia. Passam para a final os dois melhores conjuntos de cada grupo além dos seis mais bem-colocados no resultado geral, totalizando 18 combinações.

Já na competição por equipe, os oito times mais bem-colocados no GP, incluindo se houver empate na 8ª colocação, após a somatória dos três resultados dos conjuntos de cada país, passam para a disputa final por equipe, na qual terão de executar a reprise GPS com música. Os atletas devem enviar uma música, mas ela não afeta as notas. Leia mais aqui.

Um total de 50 nações competirão nas modalidades equestres em Tóquio, incluindo salto, adestramento e CCE, totalizando 200 combinações de atleta e cavalo listadas, junto com 48 conjuntos alternativos / reservas. No adestramento, o número saltou de 25 para 30 nações e de 11 para 15 equipes em comparação com os Jogos Olímpicos Rio 2016. Neste ano, competem 60 conjuntos.

A mudança na dinâmica das competições por equipes, conforme a FEI destacou, colocará não só pressão mais intensa, pois cada apresentação individual conta muito, mas também abre as portas para a participação de outros países.

Brasil
Depois de perder a vaga por equipe, o Brasil estará representado na competição individual com João Victor Marcari Oliva e Escorial Horse Campline. “Estou muito contente com a qualificação. Pelo pouco tempo que estamos juntos, já estamos conseguindo representar o Brasil nos Jogos Olímpicos. Estou contente em ter um cavalo tão bom como o Escorial, um cavalo que nos entendemos muito bem e em pouco tempo. Agora é focar para melhorar os detalhes e tentar fazer o nosso melhor nos Jogos”, disse Oliva ao Adestramento Brasil à época da convocação — leia matéria completa.

De acordo com a CBH, a meta para Tóquio será superar a marca dos últimos Jogos no Rio de Janeiro, quando o maior porcentual foi de João Vitor Marcari Oliva e Xamã dos Pinhais 68,071%, ficando na 46ª colocação (confira resultados completos do Rio 2016).

A CBH também quer que o Brasil supere a marca do melhor resultado individual da modalidade na história dos Jogos, que até hoje cabe ao Coronel Sylvio Marcondes de Rezende com Othelo em Munique, na Alemanha, em 1972, quando ficou na 25ª posição.


Apoie_AB

Informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores e anunciantes do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.

Clique e seja um apoiador via Paypal. Você que escolhe o valor!

Você também pode contribuir anunciando ou fazendo Pix (contato@adestramentobrasil.com)


Imagem: reprodução página Tokyo 2020

2 respostas para ‘O que saber para acompanhar adestramento nos Jogos Olímpicos de Tóquio’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.