Pedro Almeida muda treino de Aoelo para melhorar movimentos para Pan

Pedro Tavares de Almeida ainda não disputou os Jogos Pan-Americanos. Em 2015, na edição de Toronto, ele foi escalado para a reserva, mas não chegou a competir. Agora, o atleta e Aoleo (SIS), com quem disputou a última edição dos Jogos Equestres Mundiais (WEG), estão em Lima (Peru) com a expectativa de defender o Brasil no Pan-Americano que começa na próxima sexta-feira 26/07.

Apoie_AB-PAN

Montando o puro sangue lusitano Aoleo (SIS), Pedro Almeida alcançou índices consistentes durante os concursos de adestramento internacional, CDIs 2* que serviram de seletiva para a equipe do Pan. Houve, inclusive, uma melhora das notas em comparação com os CDI 3* seletiva para WEG. Neste ano, a dupla registrou dois porcentuais acima dos 68% em grande prêmio — veja aqui o compilado de todas as notas das seletivas.

“Eu acho que a cada concurso se aprende algo novo sobre como seu cavalo vai reagir em lugares diferentes. Ao participar de Pan-Americano, Olimpíada ou Mundial, você aprende a ficar mais calmo, a não olhar tanto para o lado, porque no Brasil não tem competidor de fora e, quando você vai para fora, que tem os melhores do mundo, você aprende a ver que ninguém é de outro mundo”, contou em entrevista ao Adestramento Brasil antes de embarcar para o Peru. Ele conta que a convivência, nas provas no exterior, com os melhores do mundo lhe ensinou a focar mais no seu trabalho e a não se preocupar muito com que os outros vão fazer.

Ter um conjunto de big tour é fundamental para o Brasil, que, com o Pan, visa a conseguir uma vaga por equipe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Pelas regras da Federação Equestre Internacional, só estão aptos a disputar uma das duas vagas disponíveis os países que se apresentaram com pelo menos um conjunto de big tour (isto é, competindo em provas de grande prêmio e GP especial). Além de Pedro e Aoleo, a CBH escalou Leandro Silva e DiCaprio para a seleção. Os nomes definitivos de quem entra na arena ainda não foram revelados.

Diferentemente de WEG, em Lima, a pressão deve ser forte, uma vez que o Brasil precisa, pelo menos, da medalha de bronze. “Tem uma pressão a mais”, reconhece. O time mexicano é o principal rival e com quem os brasileiros irão brigar pela medalha. O México, assim como o Brasil e Canadá, está com equipes mistas — isto é, compostas de conjuntos de small e big tour —, tornando-se aptos a disputar a seleção para Tóquio. “A pressão, apesar de ser um pouco a mais, não é diferente de qualquer outra grande competição na qual você entra para fazer o teu melhor”, pondera.

Os treinos do Aoleo para chegar bem a Lima foram focados em figuras e movimentos que ele tem dificuldade. “Eu mudei a rotina para fazer um treino um pouco mais intenso, mais curto e focado em movimentos específicos. Raramente, eu tenho feito treinos em um dia que engloba todos os movimentos do grande prêmio. Um dia faço apenas a parte do galope, em outro dia, a parte do trote. E uma ou duas vezes por semana, no máximo, eu passo um pouco de tudo junto para ver como está o cavalo”, contou, acrescentando que ele reagiu bem a este treino. “Subiram o nível e a qualidade técnica”, destacou.

Quando estiver no Peru, os treinos seguirão a mesma linha. “Não se pode mudar muito o treino quando está muito perto do campeonato; tem de fazer um pouco do que tem sido feito e focar nos detalhes para melhorar a pontuação”.

De família
A paixão pelos cavalos o acompanha desde sempre. “Minha mãe amarrava a gente com lençol na sela e nos puxava de outro cavalo”, contou em entrevista no ano passado. A família de sua mãe, Thereza, criava cavalos e ela praticava hipismo na modalidade salto. Não tardou muito para que seu o pai, Manuel, que, até então, não tinha relação com o animal, começasse a criar lusitanos. De lá para cá, passaram-se duas décadas e todos os quatro filhos do casal envolveram-se no hipismo em alguma fase da vida.

Pedro começou nas competições, aos nove anos, pela equitação de trabalho, modalidade típica do lusitano. Depois fez salto e adestramento, competindo nos dois, e chegando a disputar provas de 1,30 m. Por fim, o dressage venceu. Nesta jornada, Pedro conta que monta todos os dias desde os 12 anos de idade. A dedicação ao esporte não pode parar, principalmente, quando se chega ao nível das grandes competições internacionais.

O brasileiro vem acumulando experiência em grandes eventos mundiais há anos. Além de temporada em circuito de competições na Europa, Pedro integrou a equipe brasileira nos Jogos Equestres Mundiais de 2014, na Normandia (França), e de 2018 em Tryon (EUA). Na Normandia, ficou em 91º com Samba e nota de 61,529% no GP e em Tryon fez 62,578% com Aoleo, ficando na 72ª posição. Nos Jogos Olímpicos Rio 2016, montando Xaparro do Vouga, criação do haras da família, a Coudelaria Rocas do Vouga, Pedro ficou em 52º com 65,714%.

Ainda que seja difícil enumerar todos os cavalos que mais o marcaram, Samba e Xaparro tiveram papel fundamental na carreira de Pedro. Compreensível, uma vez que eles foram seus companheiros nas duas competições internacionais mais importantes do hipismo. “O Xaparro nasceu em casa e foi uma experiência muito bacana competir com ele em temporada na Europa e na Olimpíada”, conta, destacando que quem treinou o cavalo foi Edneu Senhorine.

Aoleo, comprado em Portugal quando tinha três para quatro anos de idade, foi treinado primeiro por seu irmão gêmeo. “Manuel pegou o cavalo na média 2 e ensinou todos os movimentos de GP para ele. Ele construiu o cavalo”, contou em entrevista no ano passado. Sua irmã Luiza também treinou Aoleo, mas, em 2017, os irmãos acabaram trocando as montarias. “O perfil do Aoleo é para um cavaleiro com um pouco mais ‘punch’ e a Luiza pegou o Baluarte do Vouga, que é um cavalo mais fino e encaixa melhor com a montada dela. Fizemos esta troca e deu supercerto”, explicou à época.

Foto: Jane Monteiro


Apoie_AB_PayPalAssim como diversos sites jornalísticos, Adestramento Brasil não fechou o conteúdo para assinantes, mas dependemos do apoio de leitores como você para continuar existindo. 

Uma resposta para “Pedro Almeida muda treino de Aoelo para melhorar movimentos para Pan”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.