Rodolpho Riskalla vence as três provas do CPEDI 3* de Al Shaqab

Com sua nova montaria Don Frederic 3, Rodolpho Riskalla venceu as três provas do Concurso de Adestramento Paraequestre Internacional (CPEDI 3*) de Al Shaqab, realizado de 25 a 29 de fevereiro em Doha, no Catar. Ao Adestramento Brasil, Riskalla disse que o cavalo foi superbem, principalmente, em se tratando da segunda prova deles e considerando a viagem. “Ele foi extraordinário, mas ainda tem o que melhorar. E isto é muito bom.”


Apoie_AB_PayPalSe você acompanha a nossa cobertura, sabe que informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Clique aqui e seja um apoiador. Você que escolhe o valor!


Na primeira das três competições, em 27/02, o brasileiro fez 74,500% e ficou à frente dos seis concorrentes da prova com a reprise team 4. No dia seguinte, o conjunto fechou com 74,959% a prova individual 4, também garantindo a primeira colocação. No freestyle 4, Riskalla e Don Frederic aumentaram o porcentual para 76,875%, fechando assim invictos o CPEDI 3* de Al Shaqab.

Para Riskalla, as notas, que foram na casa dos 75%, ainda podem subir.

Resultados: Team 4 | Individual 4 | Freestyle 4

Don Frederic é um dos animais com o qual Riskalla pode disputar os Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020. O atleta está garantido em uma das duas vagas individuais às quais o País teve direito, após perder a cota por equipe para o Canadá. O brasileiro, que mora na França, contou ao Adestramento Brasil que acredita ter chances reais de medalha nos Jogos e falou de seus planos de longo prazo para disputar não apenas a para como também a olimpíada. É uma meta para Paris 2024.

Riskalla tem à disposição dois cavalos: Don Frederic e Don Henrico, com quem conquistou duas medalhas de prata nos Jogos Equestres Mundiais de Tryon (EUA) em 2018.  Ele afirmou que ainda não decidiu com qual cavalo disputará a paraolimpíada. Os dois animais já têm os índices mínimos para ir e a escolha dependerá dos resultados daqui até o momento final de escolher um.

Em meados de 2015, o cavaleiro perdeu a parte inferior das pernas, dedos de uma mão e parte da outra em decorrência de uma meningite bacteriana. Menos de um ano depois, disputou os Jogos Paralímpicos do Rio 2016, classificando-se no 10º posto no grau 3. Atualmente, após mudanças na divisão das categorias, que passou de grau 1 a 5, Riskalla compete no grau 4.

No ano passado, o cavaleiro paralímíco venceu, na categoria hipismo, a nova edição do Prêmio Paralímpicos 2019, entregue pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Foto: Stefano Grasso

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.