FEI prorroga cancelamento de provas até 11 de abril, inclusive final da Copa do Mundo

A Federação Equestre Internacional (FEI) anunciou que estendeu a paralisação de eventos internacionais na Europa continental devido ao surto em curso da forma neurológica do herpes vírus equino (EHV-1) até 11 de abril de 2021. São duas semanas a mais que o anteriormente planejado. Em 1º de março, a FEI havia anunciado interrupção de 28 dias.  A medida, que visa a minimizar a propagação da cepa muito agressiva do vírus, foi aprovada por unanimidade em uma reunião de emergência do Conselho Executivo da FEI nessa sexta-feira 12/3. O bloqueio estendido se aplica a todas as disciplinas da FEI.


Apoie_AB

Informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores e anunciantes do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.

Clique e seja um apoiador via Paypal. Você que escolhe o valor!

Você também pode contribuir fazendo um Pix (contato@adestramentobrasil.com) ou anunciando.


A decisão é baseada em avaliação de risco científica detalhada conduzida pelo epidemiologista líder do departamento veterinário da FEI, Richard Newton. O bloqueio estendido se aplica a todos os países que têm eventos internacionais programados no período até 11 de abril – Áustria, Bélgica, Espanha, Estônia, França, Alemanha, Itália, Holanda, Polônia, Portugal e Suécia. No entanto, a FEI novamente recomenda fortemente que todas as federações nacionais na Europa continental cancelem seus eventos nacionais para minimizar o movimento dos cavalos.

A paralisação significará o cancelamento das finais da Copa do Mundo da FEI. No ano passado, as finais já haviam sido canceladas, mas, naquele ano, devido à pandemia da covid-19. As finais de salto e de adestramento estavam agendadas para serem realizadas em Gotemburgo, na Suécia, de 31 de março a 4 de abril de 2021.

Em nota à imprensa, a secretária-geral da FEI, Sabrina Ibáñez, disse que a extensão do bloqueio é difícil para todos e a perda das finais da Copa do Mundo da FEI pelo segundo ano é particularmente devastadora, especialmente para os atletas qualificados. “Nós sabemos quanto trabalho Tomas Torgersen e sua incrível equipe em Gotemburgo colocaram na organização das finais de 2021, que teriam sido parte das comemorações do 400º aniversário da cidade, então este é um golpe desesperadoramente amargo”, afirmou.

Ibáñez ressaltou que não se pode erradicar o EHV por ser endêmico em muitos países, mas disse ser necessário que todos trabalhem juntos para minimizar a transmissão dessa cepa específica que já causou a morte de 12 cavalos na Europa. Todos os cavalos em contato originais de Valência, Vejer de la Frontera e Doha já estão bloqueados no banco de dados da FEI, mas, alertou, toda a comunidade precisa estar alerta e monitorando seus cavalos. “Recomendamos veementemente que todos os atletas da FEI baseados na Europa evitem viajar com seus cavalos durante esta paralisação prolongada, já que a viagem é um fator de risco muito claro.”

A FEI explicou que o bloqueio adicional é crucial para desacelerar a propagação do vírus, de modo que se possa preservar o resto da temporada, fazer os atletas e cavalos voltarem a competir com segurança e permitir o maior período possível para aqueles que desejam chegar a Tóquio para ganhar seu requisitos mínimos de elegibilidade e resultados de confirmação; além de preparar seus cavalos para os Jogos.

“Ninguém quer ver um surto como este nunca mais. Haverá uma investigação abrangente e totalmente transparente sobre todos os aspectos desse surto e a maneira como foi tratado, e as descobertas serão publicadas para que, junto com nossa comunidade, possamos aprender com isso”, apontou Ibáñez. “Estaremos implementando protocolos aprimorados para permitir um retorno seguro, assim que este surto estiver sob controle; e iremos aconselhar nossa comunidade sobre isso com bastante antecedência da retomada dos eventos internacionais, mas a prioridade agora tem que ser o tratamento de cavalos doentes e a devolução de cavalos saudáveis ​​aos seus países de origem de uma forma segura e biossegura. Todos nós precisamos nos concentrar em proteger não apenas os cavalos da FEI, mas também a comunidade de cavalos europeus em geral”, acrescentou.

A FEI ressaltou que o trabalho de identificação do sequenciamento do gene dessa cepa do vírus já está em andamento. A entidade disse que continua monitorando a evolução do vírus por meio do grupo de trabalho de epidemiologia veterinária da FEI, que foi formalizado esta semana. A FEI também está publicando atualizações diárias aqui. hub EHV-1 dedicado.

Confira o especial sobre o surto:

2 respostas para ‘FEI prorroga cancelamento de provas até 11 de abril, inclusive final da Copa do Mundo’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.