João Victor Oliva sobe para nº 47 do Ranking Mundial da FEI

João Victor Marcari Oliva e Escorial figuram entre os 50 melhores conjuntos Ranking Mundial de Adestramento da Federação Equestre Internacional. De acordo com a Confederação Brasileira de Hipismo, este é o melhor resultado da história do Brasil na modalidade. Com 1870 pontos, Oliva e Escorial passaram da 58ª para a 47ª posição na tabela divulgada em 1º de junho e que inclui os pontos obtidos entre 01/06/2021 a 31/05/2022. A medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Tóquio, Jessica von Bredow-Werndl, com a égua TSF Dalera BB lideram o ranking com 3149. Cathrine Dufour vem em seguida com Bohemian (2829 pontos) e, em terceiro, está Charlotte Dujardin com Gio (2781).

Pedro Manuel Tavares de Almeida também melhorou sua posição, passando de 162 para 134 com Famous do Vouga, com quem está fazendo uma temporada de provas na Europa com objetivo de obter MERs e treinar para o Campeonato Mundial de Adestramento – Herning 2022.

Nuno Chaves de Almeida, que, em abril, passou a competir pelo Brasil de olho na vaga por equipe para o Mundial, subiu de 424 para 309 com Feel Good V.O. Em entrevista exclusiva ao Adestramento Brasil, Nuno Almeida falou sobre a mudança de nacionalidade, a parceria com Ilha Verde para montar o warmblood e seus planos para este ano.

Ainda constam do Ranking Mundial da FEI Luiza Novaes Tavares de Almeida que passou de 713 para 526 com Rosa Belle; Giovana Prado Pass em 534 com Eleito Plus e Thereza Christina Novaes de Almeida em 568 com Xaparro do Vouga. Veja a lista da classificação dos brasileiros.

Como o ranking é calculado
O Ranking Mundial de Adestramento da FEI é baseada em porcentagens, pontuadas em competições internacionais sob as regras da FEI. São computados os resultados obtidos em provas de nível de grande prêmio (GP, GP curto, GP especial e GP estilo livre) em eventos CDI 3*, CDI 4*, CDI 5*, CDI-W. Três resultados por evento contam nos casos de CDIOs, Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundial e Continental, que também acrescentam pontos bônus.

O Ranking Mundial é calculado durante um período de um ano, começando em 1º de janeiro de cada ano com uma transferência do número total de pontos acumulados durante o ano anterior (ou seja, a partir de 31 dezembro). No fim de cada mês, os pontos ganhos durante esse mês são adicionados à
a lista e os pontos do mesmo mês do ano anterior são retirados.

O Ranking Mundial de Adestramento da FEI leva em consideração os melhores resultados/porcentuais co conjunto. As pontuações obtidas em um máximo de 8 testes por ano contarão para a lista. Os pontos são obtidos somando-se os oito melhores porcentuais dos últimos 12 meses segundo uma tabela disponibilizada pela FEI.

Por exemplo, um 70% em GP ou GPS valem 200 pontos, enquanto um 68% vale 180 e 66% corresponde a 160 pontos. Leia as regras completas e confira a tabela aqui.

Os atletas podem solicitar licença maternidade ou licença médica, desde que a gravidez ou a condição médica seja certificada por escrito por um médico. Durante o período em que um atleta tenha cessado oficialmente para competir devido a gravidez ou condição médica, eles reterão 50% dos pontos do Ranking Mundial de Adestramento ganhos do mês do ano anterior até que recomecem a competir
internacionalmente.

O período mínimo de tempo pelo qual um atleta pode receber uma licença maternidade ou médica é de seis meses; se a licença maternidade/médica durar menos de seis meses, nenhum ponto será retido do correspondente mês do ano anterior. O período máximo de tempo que um atleta pode se beneficiar de uma licença maternidade/médica de uma só vez é de doze meses. Durante o período em que um atleta está em licença maternidade/médica, ele não pode competir em concursos internacionais ou nacionais.

Paraequestre
No paraequestre, Rodolpho Riskalla manteve-se na quarta posição do ranking geral com 1995 pontos e em primeiro lugar no ranking específico do grau quatro.

Pelo ranking geral de adestramento paraequestre da FEI quem lidera é o norueguês Jens Lasse Dokkan com 2057 pontos, seguido da italiana Sara Morganti (2048) e, em terceiro, está Rihards Snikus (2015).

Sergio Froes Ribeiro de Oliva está em 112º lugar no ranking geral e em 22º no grau um.

Confira os rankings na íntegra:

Foto: divulgação CBH – Rui Pedro Godinho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.