Sem conjuntos obtendo MER, CDI 3* tem disputa mais acirrada em small tour

Com três conjuntos em big tour, o CDI 3*, realizado junto com o Campeonato Brasileiro e a Taça Brasil de Adestramento, não teve conjuntos obtendo o requisito mínimo de elegibilidade (MER, na sigla em inglês para minimum eligibility requirements) para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesta sexta 27/11, Victor Trielli Ávila venceu o grande prêmio com Corsário IGS (64,891%). Mais concorrida, a série small tour teve seis conjuntos na disputa, com vitória de Paulo Cesar dos Santos e Fidel da Sasa JE (69,529%).

Em big tour, Micheline Ivette Shulze apresentou-se com dois animais, ficando em segundo com Brentina Comando SN (62,304%) e, em terceiro, com Matisse (56,130%). No vet check do CDI 3*, dois animais (DiCaprio e Unicórnio do Retiro) não passaram e ficaram de fora da disputa. No domingo, ocorre a segunda e última prova da categoria, quando os concorrentes terão de se apresentar no GP estilo livre.

A série small tour começou com a prova prêmio São Jorge, na qual todos os conjuntos classificados registraram porcentuais finais acima dos 65%. Em segundo lugar, Jeferson Rodrigo Pereira fez 67,647% com Everest Crystal, seguido de Roberto Antônio Pereira de Souza Filho, que somou 66,029% com Fantomen do Pagliarin. (Confira todos os resultados aqui – clicando na nota, verifica-se a súmula dos concorrentes).

As provas de small tour seguem no sábado (28/11) com a FEI intermediária 1 e terminam domingo com a kür.

Devido à pandemia, este foi o primeiro e único concurso de adestramento internacional (CDI) realizado no Brasil em 2020. O CDI 3* contou com as juíza internacional cinco estrelas Elizabeth McMullen (FEI 5*, pelo Canadá). A confirmação da juíza cinco estrelas era necessária para o CDI 3* valer para obtenção dos MERs. O juiz FEI 5* que escalado primeiramente, o francês Raphael Saleh, declinou de vir ao País, devido à Covid-19, o que foi solucionado com a entrada de Elizabeth McMullen (FEI 5*, pelo Canadá).

Acompanhe todas as notícias do Campeonato Brasileiro, Taça Brasil e CDI 3* 2020

A presidência do júri do CDI 3* ficou a cargo de Claudia Moreira de Mesquita (FEI 4* pelo Brasil). Os demais juízes foram Elizabeth McMullen (FEI 5*, pelo Canadá), Kristi Wysocki (FEI 4*, pelos Estados Unidos), Marcio Navarro de Camargo (FEI 2* pelo Brasil); Cesar Lopardo Grana (FEI 4* pela Argentina) e Sandra Andrea Smith (FEI 4* pela Argentina).

MERs exige 66%
A FEI exige que todos os conjuntos disputando os Jogos Olímpicos tenham obtido, em duas competições diferentes, porcentuais de, no mínimo, 66% tanto na nota final como na nota atribuída por juiz FEI 5* na prova de grande prêmio (GP) em CDIs 3*, 4* e 5*, CDI-W e/ou CDIO. Além disto, o juiz FEI 5* precisa ser de nacionalidade distinta do atleta.

Devido à pandemia, a Federação Equestre Internacional (FEI) alterou as regras de MER (leia mais aqui). Os conjuntos para estarem aptos a disputarem os Jogos Olímpicos de Tóquio, adiados para meados de 2021, precisam obter os MERs até o dia 21 de junho de 2021, sendo que aqueles que já tiverem obtido MER (ou seja, os dois índices requisitados) no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019 vão precisar alcançar um resultado adicional para confirmação do resultado entre 1º de janeiro de 2020 de 21 de junho de 2021.

 

 

Uma resposta para “Sem conjuntos obtendo MER, CDI 3* tem disputa mais acirrada em small tour”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.