Pedro Almeida e Famous do Vouga estreiam com índice no CDI 3* de Abrantes

Em seu estreia com Famous do Vouga em grande prêmio em CDI 3*, Pedro Manuel Tavares de Almeida alcançou os porcentuais necessários e obteve o primeiro dos dois índices para compor o MER — sigla em inglês para requisitos mínimos de elegibilidade — necessário para o conjunto ficar apto a disputar os Jogos Olímpicos de Tóquio. No sábado (22/05), Almeida e Famous fecharam o GP com porcentual final de 67,587%, o que colocou a dupla na terceira colocação geral. “Estou muito contente com o primeiro CDI do cavalo”, disse Pedro Almeida ao Adestramento Brasil.


Apoie_AB

Informação bem apurada, confiável e relevante faz toda a diferença. Enquanto agradecemos a todos apoiadores e anunciantes do site, reforçamos que precisamos da colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.

Clique e seja um apoiador via Paypal. Você que escolhe o valor!

Você também pode contribuir anunciando ou fazendo Pix (contato@adestramentobrasil.com)


Pedro Almeida, que integrou o time medalha de bronze no Pan de Lima e representou o Brasil nos Jogos Olímpicos do Rio e nos Jogos Equestres Mundiais da Normandia, em 2014, e de Tryon, em 2018, disse que está montando Famous há apenas três semanas e se mostrou feliz com os resultados obtidos.

“É um cavalo novo e um conjunto novo. Fazer um CDI com apenas três semanas é uma coisa quase que impensável, mas o cavalo reagiu muito bem. Foi a primeira vez dele fora de casa; ele nunca tinha feito um CDI e estreamos já com índice olímpico”, destacou.

No grande prêmio, a dupla fez 68,478% com o juiz em E, o português FEI 3* Frederico Pinteus; 67,826% com juiz em H Mariette Van Gansewinkel Sanders; 67,065% com a juíza holandesa FEI 5* Maria Colliander, em E; 64,783% com juíza portuguesa FEI 3* e que ficou em M, Claudia Matos; e 69,783% com o juiz alemão FEI 4* Thomas Kessler, em B.

A prova de GP foi vencida pelo espanhol Jose Daniel Martin Dokx montando Malagueno LXXXII, com 70,022%. Em 2º lugar ficou com o português Martim Meneres com Equador e 69,435%. A competição teve oito concorrentes, representando seis países.

Confira os resultados do CDI 3* de Abrantes: GP | GPS

No dia seguinte, domingo, o conjunto disputou o grande prêmio especial ficando na quinta colocação com 66,362% de porcentual final. “No primeiro dia [GP] foi uma prova limpa. No segundo dia, o cavalo sentiu um pouco a viagem, estava mais cansado e também teve um erro na mudança a dois tempos; por isso, não teve o mesmo desempenho”, ponderou.

Ao comentar sobre a nova montaria, Almeida ressaltou o desempenho de Famous do Voga. “Acho que ele tem potencial de, em pouco tempo, estar na casa dos 69%, 70%. Estou muito contente”, disse.

Agora, a meta é tentar mais um índice para compor o MER. A dupla tem nos planos competir no CDI 3* de Cascais, de 4 a 6 de junho.

Almeida tinha já obtido MERs com o Xaparro do Vouga, mas adiantou que não pretende mais competir com ele, deixando-o como cavalo reserva. “A primeira montaria é o Famous”, disse.

Entenda os MERs

A FEI exige que todos os conjuntos disputando os Jogos Olímpicos tenham obtido até o dia 21 de junho de 2021, em duas competições diferentes, porcentuais de, no mínimo, 66% tanto na nota final como na nota atribuída por um juiz FEI 5* na prova de grande prêmio (GP) em CDIs 3, 4 e 5, CDI-W e/ou CDIO. O juiz FEI 5* precisa ser de nacionalidade distinta do atleta.

Devido à postergação dos Jogos, a FEI passou a exigir que os conjuntos que registraram MER (ou seja, os dois índices requisitados) no período de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2019 precisam alcançar um resultado adicional para confirmação do resultado entre 1º de janeiro de 2020 e 21 de junho de 2021.

Para a escolha do conjunto que representará o Brasil em Tóquio, a CBH divulgou apenas em 5 de maio deste ano a regra atualizada. Segundo a entidade, “o critério de seleção permanece o mesmo, apenas sendo adequadas as datas para classificação conforme regras FEI” — veja aqui. O Brasil perdeu a chance de enviar um time completo de adestramento aos Jogos por não apresentar o certificado de capacidade (“NOC Certificate of Capability” ou COC) para manter a vaga por equipe conquistada com a medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Lima

Pelo Brasil, João Victor Marcari Oliva conquistou MER em abril com o puro sangue lusitano Escorial Horsecampline. Oliva já tinha os índices com F-Aron de Massa, porém, não está mais com a montaria. Além dele, Pedro Tavares de Almeida e Xaparro do Vouga também têm MER.

Acompanhe a planilha de Adestramento Brasil com as notas e as médias de cada conjunto, segundo as regras da CBH, para a seleção individual para Tóquio: http://bit.ly/seletiva_Toquio

Foto: divulgação

2 respostas para ‘Pedro Almeida e Famous do Vouga estreiam com índice no CDI 3* de Abrantes’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.