Estreante na equipe brasileira, Victor Ávila conta sua trajetória

Victor Trielli Ávila tem 22 anos e em novembro integrará, pela primeira vez, a equipe brasileira em uma competição internacional. O cavaleiro, ao lado de e Yara do Amaral Fernandes com Dileto HI, Mauro Pereira da Silva com Don Enrico AMM e João Paulo dos Santos com Carthago vai buscar no CDI 1* de Buenos Aires uma vaga para o Brasil nos os Jogos Pan-Americanos. A competição é crucial, pois, se a equipe não ficar entre os três primeiros colocados, o País não poderá competir por equipes no Pan.

“É a primeira vez que vou representar o Brasil internacionalmente, estou muito otimista com essa oportunidade. Estar na equipe dá uma motivação muito grande de seguir trabalhando forte nesse esporte”, contou ao Adestramento Brasil.

Ávila começou a montar cedo com oito anos e estreou em competição aos nove. Mas o convívio com os cavalos veio de antes. “Quando nasci, meus pais moravam em um haras em Boituva, morei lá por três anos e, assim, desde cedo tive muito contato com cavalos”, lembra. Além do adestramento, Ávila também praticou equitação de trabalho.

Em janeiro de 2016, Ávila embarcou para Europa com objetivo de treinar. Ficou dez meses em Madri, na Espanha, montando com o cavaleiro Claudio Castilla Ruiz. O espanhol destacou-se nos Jogos Equestres Mundiais por classificar o puro sangue lusitano Alcaide para a disputa do grande prêmio especial, depois de pontuar 74,103% no GP especial e 72,686% no grande prêmio.

Depois foi para Alemanha montar com o treinador Dolf Keller, onde permaneceu até novembro de 2017. “Foram experiências muito boas, aprendi muito com as duas escolas de equitação, tanto a espanhola quanto a alemã”, disse. Desde que retornou ao Brasil, há quase um ano, o cavaleiro está treinando Al Pacino.

“O primeiro objetivo era colocar ele fazendo todos os exercícios da reprise prêmio São Jorge, pois ele ainda não estava pronto. Conseguimos chegar muito bem para o primeiro CDI em abril e fizemos boas provas. No segundo CDI, em julho, as coisas não correram muito como esperávamos, mas, em agosto, fiz mais uma prova com ele que foi muito boa e consegui a minha maior nota com ele, 66,900%. Desde esta última prova ele vem evoluindo muito”, explicou.

Leia também
Três dos quatro cavalos que disputam CDI da Argentina são lusitanos

O Al Pacino é filho de Pantanal dos Filhos do Vento e Ocaia Comando SN, irmão por parte de mãe do famoso cavalo Tulum Comando SN. Criado por Simone Novak, hoje ele é propriedade de Clelia Erwenne, proprietária da Coudelaria do Castanheiro. Ávila garante que Al Pacino está muito bem em sua forma física. “Pretendo seguir o trabalho que vem sendo feito e aprimorando alguns detalhes para ele chegar a Buenos Aires da melhor forma possível”, revelou.

Victor Ávila foi campeão brasileiro e paulista júnior em 2012, vice-campeão brasileiro na categoria jovens cavaleiros em 2013 e campeão brasileiro também em jovens cavaleiros em 2014, todos montando Vencedor GB, seu principal cavalo à época. E

m 2015, antes de ir para Europa, competiu na categoria sênior pela primeira vez, ficando em quarto lugar no campeonato brasileiro.

Fotos: Arquivo pessoal / Ambar 

Anúncios

Uma resposta para “Estreante na equipe brasileira, Victor Ávila conta sua trajetória”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.