Brasileiros não alcançam índices no CDI 3* de Moscou

ATUALIZADA – Os três conjuntos que disputaram a prova de grande prêmio neste sábado 30/11 no CDI 3* de Moscou não alcançaram os porcentuais necessários (pelo menos 66% de nota final e com juiz FEI 5*) para os requisitos mínimos de elegibilidade (MER, na sigla em inglês para minimum eligibility requirements). João Victor Marcari Oliva fez 65,044% com F-Aron de Massa; Pedro Manuel Tavares de Almeida terminou com nota final de 64,500% com Aoleo e Edneu José Senhorini, 64,044% com Xiripiti.


Apoie_AB_PayPalApoie o jornalismo profissional
Desde o lançamento, Adestramento Brasil leva informação confiável e relevante, ajudando aos leitores a compreender a modalidade. Não fechamos o conteúdo para assinantes. Por isto, contamos com a colaboração de pessoas como você para seguir com a produção editorial.
Prefere anunciar? Confira o mídia kit e fique por dentro das opções para divulgar a sua marca: escreva para contato@adestramentobrasil.com


Desde o término dos Jogos Pan-Americanos de Lima, brasileiros estão competindo na Europa com objetivo de que o Brasil consiga apresentar à Federação Equestre Internacional (FEI) o NOC Certificate of Capability. Até 31 de dezembro próximo, o País deve ter pelo menos três conjuntos com dois MERs cada para garantir a vaga por equipe nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 conquistada com a medalha de bronze por equipe no Pan. 

Assista às provas em vídeo:

De Lima, foram embarcados os animais Aoleo e Carthago Comando SN. Depois, Xaparro do Vouga e Baluate do Vouga ficaram em quarentena na Argentina de onde embarcaram para Europa no início de novembro.

Pedro Tavares de Almeida, João Victor Oliva e Edneu Senhorini já disputaram concursos em Portugal, França, Alemanha, Dinamarca e agora na Rússia. Nesse período, apenas João Victor Marcari Oliva montando F-Aron de Massa conseguiu um dos dois índices necessários para o MER no CDI 3* de Le Mans, na França. Com esse, o Brasil passou a ter dois conjuntos com um índice cada Leandro Silva com DiCaprio teve nota final de 67,326% na prova de grande prêmio nos Jogos Pan-Americanos de Lima. Contudo, o atleta não deve competir internacionalmente mais neste ano.

As provas do CDI 3* de Moscou foram transmitidas em tempo real e os resultados podem ser conferidos aqui. O GP teve 16 concorrentes e foi vencido por Hanna Анна que montou Karasiova Кapaceba, da Bielorrússia, com nota final de 69,478%. A prova contou com conjuntos representando a Rússia, Brasil, Moldávia e Bielorrússia. Em russo, a página do concurso traz informações sobre o CDI 3*. Para ler o site em russo, usando o navegador Chrome, deve-se clicar com o botão direito do mouse em qualquer lugar da página e depois clicar em “traduzir para o português”.

Entenda o caso

Os índices para o “NOC Certificate of Capability” devem ser obtidos em CDIs de três ou mais estrelas. Por isto, os quatro CDIs 2* realizados no Brasil no primeiro semestre deste ano não podem ser usados. As regras de qualificação para Tóquio 2020 foram aprovadas pela FEI em sua assembleia geral de 2017, realizada em novembro daquele ano em Montevidéu, no Uruguai. O documento (acesse aqui) contém o processo de qualificação para as três modalidades olímpicas. Apesar de o texto ter sofrido algumas modificações ao longo dos meses até a publicação da versão enviada ao Comitê Olímpico Internacional (COI), em 28 de janeiro de 2019, ele sempre manteve a exigência de cada nação com vaga por equipe enviar à FEI, até 31 de dezembro de 2019, o NOC Certificate of Capability

Em abril de 2018, conforme divulgou este noticiário, a CBH publicou o documento da FEI em seu site, contendo a necessidade do “NOC Certificate of Capability”, o que sugere que a entidade tinha conhecimento da regra em tempo hábil de realizar CDIs 3* no Brasil.  Sem alcançar os índices para entregar o NOC Certificate of Capability o País perde a vaga por equipe e lhe é designada uma vaga individual. Neste caso, o conjunto deverá ser apontado até 1º de junho de 2020 pela Confederação Brasileira de Hipismo. Saiba mais nesta matéria.

Assim como o Brasil, a África do Sul ainda não conquistou todos os índices necessários para competir com equipe os próximos Jogos Olímpicos. Áustria e França estão de olho na vaga, caso um dos países ou ambos não consigam entregar em tempo o certificado de capacidade à FEI.

Com o prazo se esgotando, há poucos concursos nos quais os brasileiros podem buscar os índices. De acordo com a última lista, atualizada em 31/10, da Federação Equestre Internacional, em dezembro, os eventos listados pela FEI que ocorrem na Europa são o CDI-W e CDI 4* de Salzburgo, na Áustria, de 04 a 08/12; o CDI 5* de Frankfurt (Alemanha) de 19/12 a 22/12 e o CDI-W de Mechelen (Bélgica) de 26 a 30/12.

Para se obter o MER, cada conjunto precisa, alcançar em duas competições diferentes porcentuais de, no mínimo, 66% tanto na nota final como na nota atribuída por juiz FEI 5*, de nacionalidade distinta do atleta, na prova de grande prêmio (GP) nos concursos de adestramento internacionais de níveis CDI 3*, CDI 4*, CDI 5*, CDI-W e/ou CDIO.

Foto: reprodução transmissão 

Atualizada em 1/12 para inserção dos links dos vídeos das provas.

 

2 respostas para ‘Brasileiros não alcançam índices no CDI 3* de Moscou’

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.